29.9 C
Piauí
6 de fevereiro de 2023
Cidades em Foco
GeralPolícia

Acusado de cerca de 20 estupros no Piauí e Pará é recapturado

Samuel Cruz após a prisão na zona Rural de Altos - Foto: divulgação Sejus-PI

Acusado de roubo a banco, homicídio de um policial militar em Teresina e cerca de 20 estupros no Piauí e Pará foi preso na zona Rural de Altos, no interior do estado, nove dias após fugir da Penitenciária Capitão Carlos José Gomes de Assis, antigo Centro de Detenção Provisória de Altos, com  mais oito detentos. A reportagem apurou que Samuel Cruz dos Santos percorreu a pé quase 10 km, se alimentava de frutas para conseguir continuar a fuga e se guiava pela linha férrea e também pela rodovia para não ficar perdido na mata.

O diretor de assistência militar de controle externo da Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus), tenente-coronel, Luís Pitombeira, conta que a recaptura foi resultado de um trabalho exaustivo da Secretaria de Justiça do Piauí, policiais militares, inclusive do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), além do auxílio imprescindível da população. Dos nove foragidos, apenas um falta ser recapturado.

Foto: divulgação Sejus-PI

Equipes durante as buscas aos foragidos

“Um trabalho dificil debaixo de sol e chuva numa região de mata, mas conseguimos recapturar com um trabalho importantíssimo de informações prestadas pela comunidade que entendeu a necessidade dessas informações. A área é muito extensa, mas a cada informação recebida, nosso pessoal não descansou, continuou fazendo o cerco e um a um fomos conseguindo recuperar”, disse Pitombeira.

Samuel Cruz dos Santos foi preso na madrugada do domingo (22), mesmo dia em que também foi recapturado Victo Eduardo Rocha de Brito, investigado por tráfico de drogas, roubo e por integrar facção criminosa, de acordo com a Sejus.

O tenente-coronel destaca que todas as recapturas foram importantes, mas destaca a prisão de  Samuel Cruz devido a periculosidade. Em 2015, o Cidadeverde.com noticiou a morte do policial militar  Maycon Wellington Teixeira da Silva, assassinado a tiros próximo ao prédio da Justiça Federal, em Teresina. Na época , o delegado Francisco Costa, o Baretta, atual coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), revelou a extensa ficha criminal do acusado.

“Cometeu em diversas comarcas do Maranhão. Há ainda um crime no qual ele, durante um assalto com seu grupo, realizou o estupro de 14 mulheres em Parauapebas, no Pará, no dia 5 de junho de 2013”, disse Baretta à época do crime.

Foto: divulgação PC-PI

Na primeira foto, Samuel ao ser preso em 2015; Na segunda foto, Samuel ao ser preso em 2020

Já em 2020, o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) fez a prisão de Samuel por participação em um roubo a banco no Maranhão. No mesmo período, o Cidadeverde.com divulgou que ele era suspeito de estuprar três vítimas em Teresina em menos de 48h e filmar o crime. 

“Ele adentrava às residências, sempre de muro baixo e não demonstrava que queria em praticar ato libidinoso. A  intenção dele, no início, era mostrar e apresentar apenas que iria fazer um roubo. Depois que ele conseguia amarrar todas as vítimas, ele colocava um capuz no rosto das vítimas e tinha certas ações que eram incomuns para outros estupradores. Ele sentia prazer em gravar essas cenas”, informou o delegado Daniell Pires, à época da prisão.

Fonte: Graciane Araújo / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais