28.9 C
Piauí
12 de novembro de 2019
Cidades em Foco
Destaque Geral

Alepi pode votar lei para definir critérios de abertura das comportas de barragens no Piauí

A Assembleia Legislativa do Estado realizou audiência pública para discutir um marco regulatório para definir os critérios para fechamento e abertura das comportas das barragens no Piauí. Durante o período de seca, o estado registra conflito entre municípios que discordam dos critérios utilizados para a tomada da decisão.

Há ainda a indefinição sobre quem tem a responsabilidade de tonar a decisão sobre a abertura das barregens. Em alguns casos, o impasse fica entre a Secretaria de Meio Ambiente e o Instituto de Desenvolvimento do Piauí  (Idepi).

“Quando chegamos nesse período e visitamos os municípios no entorno das barragens tem conflito sobre a abertura ou não das comportas. O próprio Governo do Estado consultou a Procuradoria Geral do Estado para definir a atribuição de controlar as comportas. Se isso é atribuição  da Secretaria de Meio Ambiente ou do Instituto  de Desenvolvimento do Piauí. Para evitar a pessoalidade, a ideia é regulamentar essa situação. Recentemente presenciamos conflitos nos municípios. Alguns queriam a abertura das comportas e outros não”, afirmou o deputado Francisco Limma.

Para o parlamentar, é preciso ter um marco regulatório para definir a situação. “Têm casos em que a responsabilidade das comportas é do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e outros o governo do Estado. O Idepi ficaria com a manutenção das barragens. Queremos encontrar uma definição dos parâmetros que serão usados para a abertura das barragens. A abertura ou fechamento muitas vezes depende de quem grita mais alto. Tem que ter critérios. Podemos ter um decreto ou lei”, disse.

A diretora de Recursos Hídricos da Semar, Laysa Maia, afirma que o papel da secretaria é de fiscalização. “De acordo com a legislação federal e o decreto estadual a Semar fiscaliza. Com isso, notificamos os empreendedores para que as ações sejam realizadas. O estado é um só. Mas a Semar fiscaliza. Entendemos que o estado tem que atuar unido. Mas de acordo com a fiscalização a Semar, faz a fiscalização”, destacou.

O diretor de recursos hídricos do Idepi, Gregário Paz, afirma que os órgãos estaduais devem trabalhar juntos. Para ele, o decreto do governo do estado já define a responsabilidade de cada órgão.

“A gestão das barragens é  da Semar. No decreto de 2010, referendado em 2014, assegura que a abertura e fechamento é  responsabilidade da Semar. Poderíamos discutir uma forma de solucionar o problema . O Idepi faz a construção e manutenção das barragens”, explicou.

Gregório Paz diz que cada órgão  deve assumir sua responsabilidade. “Esperemos que a responsabilidade seja assumida pelo  órgão responsável. Se houver outra definição,  que ele seja dada pelo gestor  maior que é o governo do Estado”, afirmou.

Fonte: Lídia Brito / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais