31.3 C
Piauí
18 de janeiro de 2021
Cidades em Foco
Geral Internacional

Anac confirma privatização do aeroporto de Teresina para o dia 7 de abril

Foto: Roberta Aline

A Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) confirmou nesta segunda-feira (11) que o leilão de privatização do aeroporto Petrônio Portela, em Teresina, ocorrerá no dia 7 de abril.

O processo de concessão para a iniciativa privada já foi aprovado no Tribunal de Contas da União (TCU). O governo Bolsonaro vai privatizar 22 aeroportos no País.

A agência dividiu o leilão em blocos. O aeroporto de Teresina ficou no bloco Central, que inclui os aeroportos de São Luís/MA, Teresina/PI, Palmas/TO, Goiânia/Góias, Petrolina/PE e Imperatriz/MA.

A empresa vencedora vai administrar os seis aeroportos e terá como lance mínimo de R$ 8,1 milhões.

Pesquisa da Infraero, mesmo em ano atípico com pandemia, o aeroporto de Teresina teve aumento 24,6% no fluxo de pessoas com mais de 53 mil  passageiros embarcados e desembarcados.

Os documentos jurídicos aprovados pela agência reguladora tratam do leilão e das minutas de contrato de licitação dos aeroportos de Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Bacacheri, no Paraná; Navegantes e Joinville, em Santa Catarina; Pelotas, Uruguaiana e Bagé, no Rio Grande do Sul, que formam o Bloco Sul. Os aeroportos de Goiânia, em Goiás, São Luís e Imperatriz, no Maranhão; Teresina, no Piauí; Palmas, no Tocantins; e Petrolina, em Pernambuco, formam o Bloco Central. No Bloco Norte, estão os aeroportos de Manaus, Tabatinga e Tefé, no Amazonas; Porto Velho, em Rondônia; Rio Branco e  Cruzeiro do Sul, no Acre; e Boa Vista, em Roraima.

De acordo com a Anac, os 22 aeroportos respondem, juntos, por 11% do tráfego total de passageiros no país. Atualmente, 67% de todo o tráfego nacional estão sob administração da iniciativa privada.

Valores

O Bloco Norte ficou definido em R$ 47.865.091,02; o Bloco Sul, em R$ 130.203.558,76, e o Bloco Central, em R$ 8.146.055,39. Tal valor é pago imediatamente após o leilão, acrescido do ágio ofertado pela licitante.

O valor dos contratos contempla a receita estimada de toda a concessão, totalizando R$ 14,5 bilhões para os três blocos, sendo R$ 3,6 bilhões para o Bloco Norte; R$ 7,4 bilhões para o Bloco Sul e R$ 3,5 bilhões para o Bloco Central. O investimento total previsto para a sexta rodada é de R$ 6,1 bilhões.

Flash Yala Sena (com informações da Anac)

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais