24.8 C
Piauí
27 de fevereiro de 2020
Cidades em Foco
Geral Política

Após reunião com governador, Ciro confirma voto por impeachment

O senador Ciro Nogueira (PP) comunicou ao governador Wellington Dias (PT), durante reunião na tarde desta terça-feira (26), em Brasília, que vai votar pela admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) no Senado Federal. A comissão especial foi instalada hoje e deve votar o relatório sobre o impedimento no dia 6 de maio.

“No que diz respeito a admissibilidade nós vamos votar a favor. Conversei com o governador sobre isso. Falei  que era uma questão fechada no partido sobre a admissibilidade”, declarou ao Cidadeverde.com

Ciro disse que o governador entendeu seu posicionamento e que a relação entre os dois é  a melhor possível. Afirmou também que está mantido o compromisso de trabalhar pela reeleição do petista em 2018.

“Ele entendeu. Minha relação com ele é a melhor possível. Reafirmei que não muda nada no compromisso com  a reeleição dele. Acho que ele não tem o que dizer de mim e nem eu dele no que diz respeito à nossa relação aí no Piauí. Estamos firmes em seu projeto”, destacou.

O senador revelou que Wellington insistiu no voto contra o impeachment, mas que terminou entendendo sua situação dentro do PP. “O governador jamais queria que eu votasse contra a presidente. Ele entende também a situação que estou vivendo dentro do meu partido, já que fui voto vencido. Por mim, nós não teríamos votado a favor da abertura do processo lá na Câmara”, ressaltou.

Apesar do voto pelo impeachment, Ciro diz ter o sentimento que a presidente não cometeu crime. ” Hoje eu tenho o sentimento que a presidente não cometeu nenhum tipo de crime, mas nós vamos analisar o processo para saber”, afirmou.

Caso o pedido passe no Senado, Dilma será afastada por 180 dias para análise final do processo de impeachment. Nesta etapa, Ciro diz que tem o direito de acompanhar todo a documentação que ensejou no impedimento da petista.

“Agora, a questão da votação final eu me reservo ao direito de analisar o próprio processo”, concluiu.

O senador Raimundo Lira (PMDB-PB), indicado pelo PMDB, foi eleito por aclamação presidente da Comissão Especial do Impeachment e Antonio Anastasia (PSDB-MG) foi eleito relator.

 

 

Hérlon Moraes / Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais