29.7 C
Piauí
21 de abril de 2019
Cidades em Foco
Esportes Geral

Atlético-MG é goleado pelo Cerro Porteño e está praticamente fora da Libertadores

Com uma atuação desastrosa e quatro gols sofridos em menos de 15 minutos, o Atlético Mineiro praticamente selou o seu destino na Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, mesmo tendo aberto o placar em Assunção, permitiu uma reação incrível do Cerro Porteño, que o goleou por 4 a 1, pela quarta rodada do Grupo E, já assegurando a sua passagem às oitavas de final e praticamente eliminando o time mineiro.
A chave, aliás, está quase definida, pois, no outro jogo do dia, o Nacional do Uruguai venceu o Zamora por 1 a 0, em Montevidéu. Assim, o Cerro, classificado, está com 12 pontos, enquanto o Nacional soma nove, contra três do Atlético-MG e nenhum do Zamora.
O Atlético-MG, então, jogará pela improvável sobrevivência na Libertadores em 23 de abril, quando receberá o Nacional, no Mineirão. Antes, porém, decidirá o Campeonato Mineiro contra o Cruzeiro, sendo que o primeiro duelo da final será no domingo, contra o Cruzeiro, no Mineirão, mas com mando do rival.
O resultado aumenta a pressão da torcida sobre o trabalho de Levir Culpi, especialmente pela atuação apática e cheia de erros do time, que foi completamente dominado pelo Cerro Porteño e exibiu desorganização defensiva, o que facilitou a construção da goleada, mesmo após o time abrir vantagem em Assunção. E ainda sofreu com falhas de jogadores experientes da defesa, como Victor e Fábio Santos.
O JOGO – O início do jogo indicou que o Atlético teria dificuldades no Paraguai. Embora parecesse bem postada, a defesa dava espaços ao Cerro e ainda cometeu um erro com Adílson, que rendeu uma oportunidade para o time paraguaio. E, mesmo precisando da vitória, apostava nos contra-ataques para surpreender o adversário. Ainda assim, conseguiu largar na frente, aos 18 minutos, quando a bola sobrou para Luan, que cruzou rasteiro para Ricardo Oliveira empurrar a bola às redes.
O gol precoce era importante para a estratégia atleticana de apostar nos contra-ataques para assegurar a vitória, mas logo a estratégia ruiu diante de um Cerro que até então era pouco perigoso, a não ser por um gol bem anulado de Victor Cáceres. Primeiro, aos 30 minutos, Acosta empatou o duelo em cobrança de falta que desviou em Ricardo Oliveira, impedindo a defesa de Victor. Logo depois, veio a virada. Aos 33, Carrizo tabelou com Villasanti e chutou colocado, fazendo 2 a 1.
O Atlético-MG sentiu o peso da virada e falhou mais duas vezes, permitindo que o Cerro fosse ao intervalo com o placar de 4 a 1. Aos 35 minutos, Fábio Santos errou feio ao tentar sair tocando, deixando a bola com Cáceres, que driblou fácil Igor Rabello e bateu alto. Já aos 43, Igor Rabello e Victor, que havia saído do gol, trombaram, a bola sobrou para Larrivey, que, livre, empurrou a bola para as redes.
Assim, o único fato negativo da etapa inicial para o Cerro Porteño foi a lesão de Amorebieta, que foi levado de ambulância para um hospital com suspeita de fratura na costela.
Sem alterações para o segundo tempo, o Atlético-MG manteve a postura passiva. E levou um susto logo no minuto inicial, quando Larrivey acertou o travessão. O Cerro, soberano, ainda desperdiçou outras oportunidades diante de um adversário abatido, mas, aos poucos, foi diminuindo o ritmo.
Levir promoveu três alterações no Atlético-MG, com as entradas de Chará, Vinícius e Nathan, mas o time não melhorou a sua produção ofensiva. E, diante de um adversário desinteressado, mas apoiado por repetitivos gritos de olé, acabou sendo batido por 4 a 1, resultado que o deixa praticamente fora da Libertadores.
FICHA TÉCNICA:
CERRO PORTEÑO 4 X 1 ATLÉTICO-MG 
CERRO PORTEÑO – Rodrigo Muñoz; Juan Escobar, Marcos Cáceres, Fernando Amorebieta (Espínola) e Marcos Acosta (Saiz); Villasanti, Víctor Cáceres, Juan Aguilar e Federico Carrizo; Joaquín Larrivey (Churín) e Nelson Haedo Valdez. Técnico: Fernando Jubero.
ATLÉTICO-MG – Victor; Guga, Leonardo Silva, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson, Elias (Nathan) e Cazares (Vinícius); Luan (Chará), Ricardo Oliveira e Maicon Bolt. Técnico: Levir Culpi.
ÁRBITRO – Wilmar Roldán(Fifa/Colômbia).
GOLS – Ricardo Oliveira, aos 18, Marcos Acosta, aos 30, Federico Carrizo, aos 33, Victor Cáceres, aos 35, Joaquín Larrivey, aos 43 minutos do primeiro tempo.
CARTÕES AMARELOS – Juan Aguilar, Espínola e Maicon Bolt.
RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.
LOCAL – Estádio General Pablo Rojas, em Assunção (Paraguai).
Por Leandro Silveira
Estadão Conteúdo

Notícias relacionadas

Dr. Pessoa diz que resolve futuro político até o dia 15 de fevereiro

Junior Oliveira

Briga em motel termina com prisão de suspeitos de assaltos no Piauí

Junior Oliveira

Sem reserva, secretário diz que 13º salário é prioridade para o governo do Piauí

Junior Oliveira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais