27.8 C
Piauí
8 de junho de 2023
Cidades em Foco
EsportesGeral

Bola de Ouro: CR7 é melhor do mundo pela 3ª vez

Espetacular. Fantástico. Assombroso. Monstruoso. Os adjetivos são vários. E, ao mesmo tempo, insuficientes. Ele não se cansa. E está no topo do planeta novamente. Nesta segunda-feira, em festa realizada em Zurique, Suíça, com todo o glamour que os maiores craques do futebol merecem, Cristiano Ronaldo superou Lionel Messi e Manuel Neuer e, com 37,66% dos votos, foi eleito pela terceira vez na carreira o melhor jogador do mundo. A Bola de Ouro entregue pela Fifa por causa do desempenho do português em 2014 se juntará às premiações já conquistadas por ele em 2008 e 2013. Cristiano Ronaldo, definitivamente, cavou ainda mais espaço na história.

 

Ao receber pela terceira vez o maior reconhecimento que um jogador de futebol pode ter na vida, o atacante do Real Madrid, 29 anos, juntou-se a simplesmente outras duas lendas do time merengue e do futebol mundial: Ronaldo e Zinédine Zidane. Todos foram eleitos melhor do mundo por três vezes.  À frente deles, há apenas um homem: Lionel Messi – dono de quatro conquistas entre 2009 e 2012, e que, pelo desempenho de 2014, ficou na segunda posição com 15,76% dos votos. O goleiro Manuel Neuer foi o terceiro mais votado por jornalistas, capitães e técnicos de seleções nacionais (15,72% dos votos).

 

Tudo bem, o alemão foi campeão mundial com a Alemanha e conquistou títulos nacionais com o Bayern no ano passado. E Messi é Messi. Mas ninguém foi melhor do que Cristiano Ronaldo em 2014. Principal jogador do Real Madrid, o português liderou a equipe ao título da Copa do Rei da Espanha e também à conquista da tão desejada décima Liga dos Campeões da Europa da história do clube – sem falar na Supercopa da Europa e no Mundial de Clubes faturado há algumas semanas.

 

Mas, mesmo se não tivesse erguido nenhuma taça, o camisa 7 certamente levaria a Bola de Ouro da Fifa. Ronaldo não teve um 2014 humano. Foi praticamente extraterrestre em um ano no qual Messi sofreu com lesões e Neuer não chegou ao seu nível de atuações. Em 2014, o português jogou 60 partidas. Teve média de mais um gol por jogo. No total, foram 61 redes balançadas e 22 assistências no ano. Isso sem falar em algumas marcas históricas alcançadas pelo português entre 1º de janeiro e 31 de dezembro.

 

É impossível citar todas: o atacante se tornou o maior artilheiro da história da seleção portuguesa, bateu a lendária marca de Mazzola como maior goleador em uma só edição da Liga dos Campeões, colocou o seu nome no topo da lista dos jogadores que mais fizeram gols na Eurocopa e também passou Raúl no ranking dos maiores artilheiros da Champions em todos os tempos.

 

O único ponto baixo do ano de Cristiano Ronaldo foi a Copa do Mundo – que presenciou brilho de Messi e Manuel Neuer, mas que se tornou irrelevante perto da superioridade do português no restante de 2014. O alto nível apresentado pelo camisa 7 em toda a temporada cobrou o seu preço perto do início do torneio realizado em solo brasileiro.

 

Cristiano Ronaldo, que já atuara baleado na final da Liga dos Campeões da Europa, em maio, chegou destroçado à Copa do Mundo. Uma tendinite no joelho esquerdo quase custou a participação do craque na principal competição do futebol. Mas ele jogou. Apenas três partidas, mas jogou. Fez um gol, encerrou a primeira fase como maior finalizador do torneio, mas se despediu sem ao menos disputar o mata-mata. Nada que impedisse a glória já no primeiro mês de 2015…

 

 

Fonte: Terra

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais