Brasil pode igualar crise do Rio sem reforma da Previdência, diz Heráclito Fortes

Em entrevista no Jornal do Piauí desta quinta-feira (10), o deputado federal Heráclito Fortes (PSB-PI) avaliou as possibilidades de aprovação da Reforma da Previdência e defendeu que o Brasil faça uma opção para que a crise nacional ganhe proporções da que atinge o Rio de Janeiro.

“Anote o que estou dizendo: daqui a dois anos o Brasil vira um Rio de Janeiro”, disse Fortes na TV Cidade Verde, após afirmar que o Brasil precisa fazer uma opção por “uma reforma que não prejudique o povo, mas que também não prejudique o Brasil”.

A dificuldade para que a reforma seja aprovada já é admitida entre congressistas, uma vez que houve desgaste político após a rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer. Deputados e senadores aliados não estariam dispostos a um novo desgaste e o projeto pode ser alterado para correr o risco de não ser aprovado.

Heráclito Fortes comentou que temas polêmicos, como a idade limite, podem ser revistos. Mas que existem situações graves, como as diferenças para funcionários de algumas classes – ele citou o Poder Judiciário como exemplo.

Foto: Wilson Filho/Cidade Verde

Reforma Política
O deputado federal também comentou as dificuldades para se aprovar uma reforma política eficaz. “Fica todo mundo preocupado em ter uma eleição financeiramente mais robusta”, afirmou Fortes. Ele citou como uma das medidas necessárias a elaboração de critérios eficazes para o dinheiro destinado ao pagamento de marqueteiros nas campanhas eleitorais.

Outra crítica de Heráclito Fortes foi ao comando de partidos que estariam apenas brigando para arrecadar mais dinheiro. “Os presidentes de partidos viraram pedintes de arrecadação, de porta de igreja e com chapéu na mão”, desabafou. O deputado alertou que em breve deverão ser descobertos escândalos envolvendo a a aplicação de recursos eleitorais por parte das siglas.

 

 


Fonte: Fábio Lima / CidadeVerde

Compartilhar:

Por: Júnior Oliveira

Diretor Geral