Chapecoense elimina algoz do São Paulo e avança na Sul-Americana

A Chapecoense segue em busca do bicampeonato da Copa Sul-Americana. Nesta terça-feira, na Arena Condá, a equipe dirigida por Vinícius Eutrópio devolveu a derrota por 1 a 0 (com gol de cabeça de Túlio de Melo) que havia sofrido para o Defensa y Justicia na Argentina e assegurou a sua classificação às oitavas de final na disputa de pênaltis, com vitória por 4 a 2.

O rival estava credenciado por ter surpreendido o São Paulo na fase anterior, mas viu Mariano Bareiro e Daniel González pararem na marca da cal em defesas do goleiro Jandrei, herói da noite.

O oponente da Chapecoense nas oitavas de final sairá do vencedor do duelo entre Palestino, do Chile, e Flamengo. No jogo de ida, o time brasileiro atuou como visitante e goleou por 5 a 2. Antes de voltar a se preocupar com o torneio continental, contudo, a equipe catarinense terá que se ocupar novamente com o Campeonato Brasileiro. Enfrentará o lanterna Atlético-GO no domingo, na Arena Condá.

Na esperança de se classificar, o Defensa y Justicia adotou a mesma estratégia que havia sido bem-sucedida contra o São Paulo – fechou-se na defesa, com três zagueiros, e deixou os seus homens de frente prontos para contra-atacar. E, logo no princípio da partida, o time argentino quase aumentou a sua vantagem no confronto. Juan Kaprof teve uma chance de abrir o placar, na pequena área, mas chutou para fora.

A Chapecoense fez o que precisava – pressionou a equipe visitante desde os primeiros minutos. Aos 25, conseguiu marcar o gol. Reinaldo cobrou escanteio na área, e Túlio de Melo saltou com estilo para cabecear para dentro antes de comemorar com piruetas.

Com a vantagem da Chapecoense no marcador, a expectativa era de que o Defensa y Justicia se soltasse um pouco mais no segundo tempo. Não foi o que ocorreu. O time argentino continuou a aceitar a presença do brasileiro em seu campo de jogo e ainda fez substituições conservadoras. A dupla de ataque formada por Juan Kaprof e Ciro Rius saiu para a entrada de Matías Sosa e Daniel González.

A Chapecoense tinha dificuldades para transpor o bloqueio do Defensa y Justicia e ser perigoda. As jogadas de bola parada, como a que resultou no gol de Túlio de Melo, pareciam ser a esperança para evitar a disputa de pênaltis. Aos 26 minutos, apareceu a grande oportunidade em lance em movimento – Lucas Marques fez ótima enfiada de bola para Arthur Caíke, que ficou diante do goleiro Gabriel Arias e errou o alvo.

Vinícius Eutrópio tentou colaborar com a Chapecoense com as entradas de Lourency, Lucas Mineiro e Wellington Paulista nas vagas de Seijas, Lucas Marques e Túlio de Melo, mas o panorama da partida não acompanhou as mudanças. O Defensa y Justicia até assustou vez ou outra, como quando Daniel González ficou em liberdade dentro da área e mandou para fora.

Nos pênaltis, Luiz Antônio, Wellington Paulista, Fabrício Bruno e Lourency converteram as suas cobranças pela Chapecoense, enquanto Luis Jérez e Hernán Fredes não desperdiçaram pelo Defensa y Justicia, que viu Mariano Bareiro e Daniel González pararem em defesa do goleiro Jandrei e frustrarem a barulhenta torcida argentina presente na Arena Condá. A festa foi dos donos da casa.

Fonte: Gazeta Esportiva

Compartilhar:

Por: Júnior Oliveira

Diretor Geral