36 C
Piauí
4 de outubro de 2022
Cidades em Foco
GeralPolítica

Ciro Gomes critica candidatos e afirma: ‘invadir religiosidade é forma grave de corrupção’

Foto: Yala Sena/Cidadeverde.com

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, voltou a criticar a troca de ataques de teor religioso entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na campanha eleitoral.

O pedetista chamou de “forma muito grave de corrupção” o que classificou de invasão da “religiosidade do povo”. “Aonde se misturou política corrupta com religião deu em genocídio. Se proteja, meu irmão. Você tem o direito de adorar a Deus da forma como você deseja adorar, e o papel presidente da República é respeitar todas as formas de adorar a Deus e até proteger aqueles que não tem condições de ter fé”, afirmou Ciro em entrevista ao SBT Brasil na noite desta quarta-feira, 17

Mais cedo, o candidato usou as redes sociais para dizer que os adversários estão “se tornando iguais” por usarem o nome de Deus “em vão”.

O primeiro dia oficial de campanha nesta terça-feira, 16, foi marcado pela disputa entre Bolsonaro e Lula em torno de temas religiosos. Em Juiz de Fora (MG), o candidato à reeleição voltou a chamar a corrida presidencial de “luta do bem contra o mal” e também criticou o que chamou de “fechamento de igrejas” na pandemia de covid-19, reforçando a pauta religiosa da sua campanha.

Já Lula, fez o primeiro ato de campanha em São Bernardo do Campo (SP), seu berço político, onde acusou Bolsonaro de tentar manipular a boa-fé de evangélicos e afirmou que o presidente é “possuído pelo demônio”. Hoje, a presidente nacional do PT voltou a colocar a religião em pauta na campanha. Em uma publicação nas redes sociais, a petista afirmou que “Bolsonaro usa Deus, Deus usa Lula!”.

 

Assista

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais