21.2 C
Piauí
6 de dezembro de 2019
Cidades em Foco
Geral Pernambuco em Foco

Com baixa estação, produtores de coco de Petrolina enfrentam queda no preço

Devido o período frio em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, a baixa nas vendas do coco tem preocupado os produtores. Diferente de outros momentos de queda nas vendas, o valor de mercado não está cobrindo os custos da produção. O preço da unidade, que chegou a R$ 1 no campo, atualmente alcança no máximo, R$ 0,20.

O agrônomo, Pedro Ximenes, já estava acostumado ao período de baixa estação, quando o preço do coco cai por conta do frio. Ele investiu oito hectares da produção do fruto no núcleo três do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho. “A nossa previsão é que em setembro, esse preço reajuste e fique com preços lucrativos para os produtores”.

A orientação é que mesmo nos períodos frios, as pessoas continuem consumindo a água de coco. De acordo com Pedro Ximenes, a ingestão facilita a hidratação do organismo e eliminação do sódio do corpo.

No lote de oito hectares do produtor rural Francisco Nunes, são produzidos 320 mil frutos por ano. Sendo que 40% dessa produção vai para o consumo in natura e 60% são destinadas a indústria. A preocupação é que ele não está conseguindo escoar essa produção. “São dois prejuízos que nós temos de imediato. O primeiro é financeiro e o segundo é a sobrecarga da planta e comprometimento dessa produção no futuro”.

Um outro problema é a flexibilidade na importação da água de coco de outros países. De acordo com Francisco, o governo brasileiro precisa se impor e criar critérios mais rígidos para não prejudicar a cultura do fruto no país. “O maior prejudicado é o nordeste, então a gente precisa de ação política pra criar barreiras e não deixar extinguir a cultura do coco no nordeste”.

Fonte: G1

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais