33.1 C
Piauí
21 de junho de 2021
Cidades em Foco
Geral Piauí

Concessão do Bolsa Família no Piauí reduziu em 98% em um ano

Redução no número de benefícios e formação de filas. Tem sido esta a realidade do Programa Bolsa Família no Brasil, segundo a denúncia recebida pelo Ministério Público Federal (MPF), que vem cobrando do Ministério da Cidadania explicações a respeito da situação e dos critérios de concessão do benefício.

Aqui no Piauí, o cenário não é diferente. Segundo dados da Coordenação Estadual do Bolsa Família, o número de concessões do benefício no Estado reduziu 98,28% em um ano, tendo caído de 5.013 em janeiro de 2019 para apenas 86 em janeiro de 2020. Se observarmos fevereiro, a queda se manteve no mesmo patamar, tendo sido concedidos 3.911 benefícios em fevereiro do ano passado, e somente 48 agora.

A queda mais brusca na quantidade de concessões ocorreu em junho de 2019, quando o Governo Federal autorizou o recebimento do Bolsa Família para apenas 45 famílias no Piauí, sendo que em maio, 5.956 faziam parte do programa. Foi uma redução de 99,24% de um mês para o outro.

Foi neste período (final do primeiro semestre de 2019) que o Estado registrou o segundo maior número de cancelamentos de cadastros. Ao todo, foram 7.116 cancelamentos de benefícios em junho de 2019, o que, em comparação com os 45 concedidos, significa dizer que o Piauí teve 158 mais cancelamentos que concessões do Bolsa Família naquele mês. Junho perde apenas para janeiro de 2019 em números de cadastros cancelados. No começo do ano passado, o Piauí teve 15.007 famílias retiradas do programa.

De acordo com o coordenador do Bolsa Família no Piauí, Roberto Oliveira, essa queda na concessão de benefícios se manteve neste mês de março. “Este mês tivemos uma nova redução. Teremos 430.222 famílias atendidas e a folha de pagamento na ordem de R$ 92,225.267,00”, explica.

Em entrevistas anteriores, Roberto Oliveira já havia informado que as reduções no Bolsa Família no Piauí, assim como em todo o Brasil, estavam relacionadas a dois fatores principais: a queda no orçamento do Governo Federal e a inconsistência e desatualização dos cadastros das famílias beneficiadas.

Conforme afirmou o coordenador, o Governo Federal também alega que o Piauí já atingiu a meta de concessão do Bolsa Família, no entanto ele ressalta: “tem famílias aqui que ainda precisam e que podem cumprir as exigências para recebimento do benefício”.

Ministério da Cidadania terá que explicar redução ao Ministério Público

Na última sexta-feira (06), o Ministério Público Federal (MPF) deu prazo de cinco dias para que o Ministério da Cidadania informe a quantidade de novos benefícios do Programa Bolsa Família concedidos por estado mês a mês, desde janeiro de 2019. O ente ministerial por provocado por uma denúncia publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo de que a região Nordeste teria ficado com apenas 3% das concessões, embora concentre 36,8% das famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza na fila de espera do programa.

No pedido de esclarecimentos, a Procuradoria dos Direitos do Cidadão solicita ao ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, que indique os critérios e conjuntos de indicadores sociais utilizados pela pasta para estabelecer com maior acuidade as situações de vulnerabilidade social e econômica utilizados na seleção dos beneficiários. O MPF exige ainda informações sobre a cobertura do Bolsa Família por estado.

“No caso da indisponibilidade orçamentária eventual para expandir o programa no ritmo necessário para alcançar novas famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, os critérios para priorização na concessão dos benefícios devem ser claros e lícitos, não havendo qualquer possibilidade de preferências ou perseguições políticas”, destaca o MPF.

Fonte: Portal O Dia

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais