22.9 C
Piauí
29 de maio de 2020
Cidades em Foco
Destaque Geral

Deputados federais do Piauí receberam R$ 4,2 milhões de indenizações

Vai e volta os gastos dos parlamentares com verbas indenizatórias chocam a população. O Blog do Bira fez um levantamento no caso dos deputados federais e de acordo com o site da Câmara dos Deputados, em 2016, os parlamentares piauienses gastaram, e receberam de volta, R$ 4.225.531,03 com a cota para o Exercício da Atividade Parlamentar.

Neste caso, o deputado faz uma despesa, apresenta a nota do serviço e a Câmara devolve o recurso pago (abaixo tem uma pequena explicação sobre a cota).  No Piauí, cada parlamentar tem o teto de gastos de R$ 40.971,77 por mês, para serem reembolsados.

Segundo o site o da Câmara dos Deputados, o deputado que mais utilizou está cota foi Rodrigo Martins (PSB) no valor de R$ 494.334,31 em 12 meses. O menos gastão foi Marcelo Castro – PMDB – R$ 260.726,72. Os valores se referem ao período de janeiro a dezembro de 2016.

O que repercutiu na útima semana foi o uso da verba para o pagamento de contas em bares e restaurantes. Para saber mais quanto cada deputado gastou com esta verba acesse: http://www.camara.gov.br/cota-parlamentar/index.jsp

Total dos gastos dos deputados federais Piauí R$ 4.225.531,03

  1. R$ 494.334,31 – Rodrigo Martins(PSB)
  2. R$ 493.951,34 Júlio César (PSD)
  3. R$ 473.032,96 Silas Freire (PR)
  4. R$ 462.052,97 Maia Filho (PP)
  5. R$ 461.741,53 Paes Landim (PTB)
  6. R$ 431.831,54 Assis Carvalho (PT)
  7. R$ 418.343,14 Atila Lira (PSB)
  8. R$ 366.236,03 Iracema Portella (PP)
  9. R$ 363.280,49 Heráclito Fortes (PSB)
  10. R$ 260.726,72 Marcelo Castro (PMDB)

Confira o diz a Câmara sobre a verba 

Existe toda uma legislação sobre as cotas para o exercício da atividade parlamentar. Segundo o site da  Câmara dos Deputados, a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar – CEAP, que antes era chamada de verba indenizatória, é uma cota única mensal destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar.

O recurso  ée regumentado pelo  Ato da Mesa nº 43 de 2009. A norma detalha as regras para o uso da CEAP, determina que só podem ser indenizadas despesas com passagens aéreas; telefonia; serviços postais; manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar; assinatura de publicações; fornecimento de alimentação ao parlamentar; hospedagem; outras despesas com locomoção, contemplando locação ou fretamento de aeronaves, veículos automotores e embarcações, serviços de táxi, pedágio e estacionamento e passagens terrestres, marítimas ou fluviais; combustíveis e lubrificantes; serviços de segurança; contratação de consultorias e trabalhos técnicos; divulgação da atividade parlamentar, exceto nos 120 dias anteriores às eleições; participação do parlamentar em cursos, palestras, seminários, simpósios, congressos ou eventos congêneres; e a complementação do auxílio-moradia.

O valor máximo mensal da cota depende da unidade da federação que o deputado representa. No caso do Piauí é de R$ 40.971,77 por mês para cada parlamentar. Essa variação ocorre por causa das passagens aéreas e está relacionada ao valor do trecho entre Brasília e o Estado que o deputado representa. A tabela completa, para todas as unidades da federação, com os  limites mensais da cota por deputado, encontra-se disponível no anexo do  Ato da Mesa nº 43 de 2009.

 

 

DoCidadeverde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais