29.7 C
Piauí
17 de fevereiro de 2020
Cidades em Foco
Geral Polícia

Disputa por terreno levou a morte de líder comunitário; dois são presos

A Polícia Civil prendeu, na manhã desta quarta-feira (12), dois suspeitos de matar a tiros, o líder comunitário Paulo Sérgio Vieira da Silva. O crime aconteceu no dia 28 de dezembro do ano passado, por volta das 20h, na avenida Barão de Castelo Branco, na zona Sul de Teresina. Segundo a polícia, R.G.S, mais conhecido como “Ramon” e J.L.M.L, popularmente chamado de “Bin Laden”, foram presos nos bairros Vila da Paz e Cristo Rei.

A polícia informou ainda que foi apreendido em poder de R.G.S, uma pistola calibre .40 com numeração adulterada, 18 munições, colete balístico, um rádio de comunicação, uma máscara látex bruxa, balaclava, e farto material em invólucros plásticos contendo substâncias análogas à crack. Ainda de acordo com a polícia, o suspeito tinha ainda a quantia de R$ 2.661,00.

“Os referidos investigados possuem envolvimento com outros crimes investigados pela Polícia Civil”, informou a PC em nota.

As prisões foram realizadas pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), coordenado pelo delegado Francisco Costa, o Baretta. Segundo ele, o motivo da morte foi o comando da invasão “Terra Prometida”.

“O Binladen mora lá e estava querendo fazer a expansão dos seus crimes e o Paulo César não aceitava. Foi criado lá um grupo de WhatsApp dessa comunidade Terra Prometida e ele queria participar, só que ele queria era difundir suas atividades criminosas. O líder comunitário não aceitou e tiveram uma desavença. Isso foi o motivo para ele tramar a morte do rapaz. O Paulo César estava sendo monitorado e eles dispararam de um carro clonado. Ele queria comandar a região, formar o grupo dele lá dentro”, explicou Baretta.

Fonte: Hérlon Moraes / Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais