22.7 C
Piauí
9 de agosto de 2022
Cidades em Foco
GeralJaicósMunicípios

Dr. Solon, pai, amigo, médico, músico, escritor, compositor…

Em meados do ano passado Wallysson Bernardes me entregou um combo, composto de um livro, um CD e um DVD, produzidos por Dr. José Solon de Souza, consta lá que, para comemorar seus 30 anos de profissão. Agradeço a Dr. Solon pela consideração, li o livro (autografado e com dedicatória), ouvi o CD e assisti ao DVD por mais de uma vez cada. A principio pensei em escrever sobre, mas, ao me deparar com incontáveis manifestações escritas por pessoas do mais alto gabarito literário, nas páginas da 3ª edição de “Você, Meu Orgulho”, me deu um medo danado de não conseguir me pronunciar no mesmo nível.  Hoje, no entanto, e por se tratar de música, me arrisco a discorrer um pouco sobre essa figura multifacetada do Dr. Solon.

 

Ontem recebi, via e-mail, uma composição dele, que se chama “Aposentadoria” (clique aqui), onde pude observar a sua inquietude com as iniquidades a que somos submetidos constantemente, sua preocupação com a figura humana, com o bem estar e a felicidade de todos. Só pessoas de bom coração, boa índole e de bom caráter são capazes de se entregar a esse tipo de atitude: protestar, bradar, gritar, botar pra fora o seu descontentamento com o status quo. Ao ouvir “Aposentadoria” me transportei de volta à época de estudante em São Paulo, quando me mandava para a Praça Ramos de Azevedo e ficava contemplando os menestréis que por lá soltavam o verbo, a prosa… e a poesia. Achava aquilo o máximo do desprendimento, do desapego às coisas fúteis e de valores invertidos. Vi Glauber Rocha, Plínio Marcos, Jorge Mautner e Waly Salomão mesmerizando os transeuntes, que muitas vezes nem sabiam de quem se tratava. Alguém (fiz muito isso) tinha que explicar quem era aquele sujeito aos brados. Dr. Solon é o nosso menestrel, nosso trovador.

 

Cínthia, minha filha, conviveu um bom tempo com Alana, sua filha mais nova, e nutre verdadeira admiração por ela. Vieram a se separar quando entraram na faculdade – tomaram rumos opostos, mas se encontravam aqui em Picos de vez em quando. E de tanto ouvir minha filha elogiar o comportamento de Alana, uma garota especial, estudiosa, amiga, meiga, educada, me deu convicção de que os pais não poderiam ser diferentes. Apareceu recentemente nas manchetes de todo o mundo, o resultado de um estudo realizado pela Universidade de Connecticut (EUA), onde se comprovou que amor de pai é uma das principais influências na personalidade humana. Dr. Solon e sua filha Alana já sabiam disso.

 

Dr. Solon, dá um abraço aí no Tom, e guarde esse diploma como muito carinho. Não tenho dúvida de que, apesar de tantos estudos, tantos ofícios por você exercidos, o seu maior diploma é esse de O Melhor Pai Do Mundo; pois esse não tem estudo no mundo que ensine. Vem do coração, e foi Alana quem disse, como também falou: “Você é meu orgulho!”.

 

 

 

Por Derico Barros

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais