25.2 C
Piauí
6 de junho de 2020
Cidades em Foco
Destaque Geral Saúde

Em Conceição do Canindé, profissionais da saúde paralisam atividades e cobram pagamento de gratificação

Em meio ao coronavírus, prefeito não paga gratificação e profissionais da saúde paralisam atividades em Conceição do Canindé

Os profissionais da saúde de Conceição do Canindé do Piauí, realizou, na manhã desta quinta-feira, 21, em frente a Secretaria Municipal de Saúde, uma manifestação reivindicando o pagamento de forma igualitária para os profissionais que estão na linha de frente em combate ao novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com a enfermeira da Estratégia Saúde da Família, Kátia Beatriz Moreira Freitas de Carvalho, a reivindicação foi mais no sentido de mostrar que os profissionais do município estão se sentido desvalorizados, diante da pandemia.

“A gente estava vendo todos os outros municípios circunvizinhos aos nossos valorizando seus profissionais, e aqueles que não estavam pagando insalubridade, estavam gratificando seus profissionais por estarem realizando um serviço a mais”, comenta.

A enfermeira relata que os profissionais da saúde sentiram a dificuldade da gestão, pois foram realizadas várias reivindicações e não havia sido atendido ainda. “Por esse motivo, a gente tomou uma decisão conjunta de parar para chamar a atenção da gestão, para que eles tomem uma providência”, explica.

Kátia informa que, logo em seguida, o prefeito convidou os representantes de cada equipe da saúde e ficou acordado que o município pagará uma gratificação de forma igualitária para todos, sem discriminação para função ou cargo. “Todos aqueles que estão na linha de frente vão receber sua gratificação como direito pelo trabalho realizado”, pontua a enfermeira.

O vereador Adauto Gustavo da Silva (PP), acompanhou a paralisação dos funcionários da saúde e afirma que os profissionais estavam apenas reivindicando os seus direitos que é de receber os 40% de insalubridade, inclusive, a Câmara de Vereadores criou uma comissão para fiscalizar sobre isso, mas o prefeito até agora não deu respostas a comissão.

“Ontem criaram uma tabela dando uma gratificação para a saúde, no entanto, não como insalubridade, mas só uma gratificação. Os funcionários da saúde não aceitaram e fizeram essa manifestação, o prefeito atendeu cinco pessoas da saúde no gabinete, algo que é errado, pois não devia ser no gabinete, ele não aceitou os vereadores da comissão entrar para participar da reunião”, informa.

O vereador classifica a situação como uma falta de compromisso e de respeito com os profissionais da saúde que estão na linha de frente ao novo coronavírus e destaca que o dinheiro veio para pagar os profissionais, inclusive, outros municípios da região já estão pagando.

“Ele tem que ter compromisso com a saúde, ter mais um pouco de respeito, pois não precisa disso tudo pra ele pagar, isso que é um direito de cada um”, pontua, acrescentando que os vereadores Maria Isabel e o presidente da Câmara Álvaro José também acompanharam a paralisação dos profissionais.

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais