24.9 C
Piauí
23 de setembro de 2021
Cidades em Foco
Destaque Geral

Em Patos, populares fazem manifestação e pedem melhorias no serviço prestado pela Agespisa

Inaugurada no ano de 2010, a Barragem Poço de Marruá foi planejada e construída para solucionar o problema que a população da região enfrentava com a seca e a escassez de água. Mas não é isso que a população dos municípios Patos do Piauí, Caridade, Simões, Jacobina e Curral Novo tem vivenciado, já que a falta de água nas torneiras se tornou algo constante.

Nos últimos dias, com problemas, mais uma vez, em equipamentos da empresa responsável pelo abastecimento de água, a situação ficou ainda mais crítica na região e fez com que populares se reunissem em uma manifestação simbólica pedindo melhorias no serviço de abastecimento desenvolvido pela Agespisa.

O ato aconteceu no final da tarde desta terça-feira (14), em frente à Estação de Tratamento de Água (ETA) e também em cima da parede da Barragem Poço do Marruá. Com cartazes com frases pedindo a melhoria no serviço de abastecimento e utilizando máscaras, pessoas da comunidade patoense expressaram sua indignação com a falta de água nas torneiras.

A Técnica em Saúde Bucal, Gabriela Pereira, explica que o motivo maior de ter ido participar da manifestação é o descaso vivenciado pela população com a falta de água. “A gente sempre reclama porque as conversas que ouvimos é de que não se tem equipamentos de reserva, sempre tem que esperar vir de outros lugares, e a equipe técnica de conserto também vem de fora, o que faz com que sempre que aconteça algum problema com equipamento, como a própria bomba quando queima, demore demais para que o serviço seja reestabelecido”, pontua.

Gabriela destaca ainda que no último final de semana teve que voltar ao passado e puxar água de um cacimbão para consegui realizar as atividades domésticas. “A nossa sorte aqui na rua 7 de setembro, é que temos esse cacimbão e conseguimos puxar água dele”, revela.

A Professora da Rede Municipal, Crisantina Crisanto, relatou que as faltas de água na Rua Marcelina Januária são constantes, independentemente de ter problemas em equipamentos. “Geralmente na minha rua passa o dia todo sem água e a gente continua pagando caro. Não justifica a quantidade de água que temos na barragem, se ela chega as nossas casas”, explica.

A professora destaca ainda que a manifestação aconteceu de forma simbólica, para chamar atenção de todos para o problema da falta de água que atinge toda a cidade e os demais municípios e que a empresa melhore o serviço de abastecimento e esteja preparada para quando algum equipamento venha a ter problema.

No ano passado, a Barragem Poço do Marruá transbordou pela terceira vez e ainda permanece com uma quantidade bem significativa de água. Nos dizeres populares, está “praticamente cheia”. Nas imagens registradas na tarde desta terça-feira, é possível perceber o grande volume de água presente na barragem.

Por Vinícius Coutinho

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais