27 C
Piauí
21 de setembro de 2020
Cidades em Foco
Geral Internacional

Empresa dona do TikTok recusa oferta da Microsoft

Popular rede social TikTok tenta remover imagens sensíveis de suicídio. — Foto: Getty via BBC

TikTok não será mais comprado pela Microsoft. Após mais de um mês de negociação, a dona do aplicativo de vídeos, a ByteDance, rejeitou a oferta da gigante de tecnologia de adquirir as operações nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

Para evitar ter o aplicativo banido dos Estados Unidos, a operação americana do TikTok precisa ser adquirido por uma empresa norte-americana até esta terça-feira (15). Além da Microsoft, a Oracle está em negociações com a ByteDance. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que o prazo para que as negociações sejam concluídas não será prorrogado.

De acordo com o jornal “The Wall Street Journal”, é possível que a Oracle tenha sido escolhida para administrar o TikTok nos Estados Unidos e um anúncio pode acontecer em breve.

Em seu blog oficial neste domingo (13), a Microsoft confirmou a rejeição da oferta pela ByteDance. “Estamos confiantes de que nossa proposta teria sido boa para os usuários do TikTok, ao mesmo tempo que o objetivo era proteger os interesses de segurança nacional”, informou a empresa. Não foi informado os valores da negociação nem quais mudanças a Microsoft disse que faria no TikTok.

A Microsoft disse também que, caso o negócio fosse concretizado, teria feito mudanças significativas para garantir que o serviço atendesse aos mais altos padrões de segurança, privacidade e combate à desinformação. “Estamos ansiosos para ver como o serviço evolui nessas áreas importantes”, concluiu.

A Microsoft revelou em agosto que estava buscando um acordo para comprar as operações do TikTok nos Estados Unidos, Austrália, Canadá e Nova Zelândia. O governo norte-americano participava das negociações, acusando a plataforma de ser uma ferramenta de inteligência chinesa.

Na sexta-feira (11), o governo chinês disse que preferia que o TikTok encerrasse suas operações nos Estados Unidos do que ter uma venda de operações forçada. Autoridades chinesas avaliaram que uma venda forçada faria com que a ByteDance e a China parecessem fracos diante da pressão de Washington, disseram as fontes.

A ByteDance disse à Reuters que o governo chinês nunca sugeriu fechar o TikTok nos EUA ou em qualquer outro mercado.

No final de agosto, o TikTok iniciou um processo processo contra o governo Trump. A companhia disse que tentou relacionamento com os EUA por quase um ano, mas que o governo americano não deu atenção aos fatos. No começo de agosto, o presidente americano deu 45 dias para que as operações do aplicativo no país fossem vendidas ou ele poderia ser banido.

O TikTok é conhecido por vídeos curtos populares entre adolescentes. Mas as autoridades norte-americanas expressaram preocupação de que as informações sobre os usuários da plataforma possam ser repassadas à China.

O aplicativo disse que não atenderia a nenhum pedido de compartilhamento de dados de usuários com as autoridades chinesas.

Fonte: G1

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais