Empresas gaúchas irão implantar usina solar em Picos e gerar 3,5 mil empregos

Empresas do Rio Grande do Sul irão implantar um projeto de energia solar no Piauí e vai gerar 3,5 mil empregos diretos e indiretos. Segundo a rádio Gauchazh, a usina com capacidade de 200 megawatts será construída no município de Picos. A potência é suficiente para abastecer 3 mil residências por ano.

As empresas gaúchas são a Energias da Natureza e a DGE Soluções Renováveis, com assessoria jurídica do escritório Souza Berger Advogados. O objetivo do projeto é participar de leilões de contratação de energia. O projeto deve levar um ano ainda para cumprir as exigências regulatórias do setor.

“A usina está localizada no Piauí por ser uma das regiões de maior incidência solar do país e com alta rentabilidade na produção de energia. As empresas já desenvolvem outros projetos eólicos e solares no Nordeste”, disse Frederico Carbonera Boschin, da Souza Berger, a rádio Gauchazh.

Boschin disse ainda que os custos de uso da terra são mais baixos no Piauí. Além disso, os sistemas de transmissão de energia estão preparados para receber estes projetos, o que não é o caso do Rio Grande do Sul.

“Em se tratando de usinas solares de grande porte, por conta da maior incidência solar no Nordeste, faz mais sentido econômico o desenvolvimento deste tipo de projeto naquela região. Os custos de uso da terra são mais baixos. Lá, a terra não tem tanta rentabilidade quanto aqui no Rio Grande do Sul, onde é usada para a agropecuária. Outro ponto são os incentivos governamentais locais com um acesso facilitado ao aparato burocrático pelos investidores, facilitando o diálogo”, acrescenta.

Durante a obra de implantação da usina, serão gerados 3,5 mil empregos diretos e indiretos. As empresas não abrem o investimento financeiro. Dizem apenas que, inicialmente, os custos serão bancados pelas gaúchas.

Fonte: GaúchaZH