30.4 C
Piauí
24 de fevereiro de 2020
Cidades em Foco
Geral Política

Equatorial é alvo de críticas dos vereadores na primeira sessão de 2020 da Câmara de Picos

A privatização parece não ter sido a solução para a melhoria da distribuição de energia elétrica no Piauí. Na primeira sessão ordinária de 2020, realizada pela Câmara Municipal de Picos na tarde da quinta-feira (13), os vereadores concentraram as críticas na Equatorial Energia, citando inúmeros relatos de cortes, descaso e má administração.

A vereadora Valdívia Santos (PR) apresentou um projeto de lei, encaminhado às comissões permanentes da Câmara Municipal para receber parecer técnico, proibindo a Equatorial de cortar o fornecimento de energia elétrica para as residências durante finais de semana e feriados. O mesmo vale para a Agespisa.

“O corte de energia e de água só será permitido com a presença do consumidor ou responsável lesado, bem como a sua respectiva autorização; todo consumidor tem que ter o prazo de 24 horas no momento em que ele for notificado, então na próxima semana o projeto será colocado em votação e peço a colaboração de todos os parlamentares”, frisou.

O vereador Francisco das Chagas de Sousa, o Chaguinha (PTB), afirmou que são muitos os relatos de reclamações contra a Equatorial, declarando que a qualidade do serviço despencou desde a privatização. Ele lamentou também o declínio no tratamento aos consumidores picoenses. “Hoje a população é humilhada, é execrada, e não temos um serviço prestado”, protestou o parlamentar.

Chaguinha citou casos de consumidores que tentam fazer a ligação da energia elétrica em residências recém construídas, mas enfrentam a demora de meses, algo que não se verificava antes. O vereador disse ainda que se a qualidade dos serviços não melhorar, a Câmara Municipal deve aprovar a concepção do desenrosco projeto de “persona non grata” para a Equatorial Energia. “Não podemos pagar um serviço que não temos e ainda ser humilhados”, frisou.

As críticas a Equatorial Energia não acontecem apenas na Câmara Municipal de Picos. Diversos deputados estaduais já se manifestaram contra a empresa na Assembleia Legislativa do Piauí.

Privatização

A Eletrobrás/Cepisa foi privatizada pelo então presidente Michel Temer (MDB) no dia 27 de julho de 2017, em leilão cuja única interessada pela aquisição foi a Equatorial Energia.

Fonte: Folha Atual

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais