21 C
Piauí
18 de agosto de 2019
Cidades em Foco
Economia Geral

Estados terão de cortar gastos e aumentar receitas para receber ajuda

Os Estados que aderirem ao Plano de Promoção do Equilíbrio Fiscal (PEF) – pacote de ajuda da União – terão de cumprir pelo menos três de oito medidas de ajuste definidas como pré-requisitos.

O pacote foi enviado na terça-feira (4) ao Congresso Nacional e tem potencial para atender até 12 Estados e o Distrito Federal. O Piauí não está na lista porque é considerado em boa situação fiscal.

As iniciativas abrangem:

1 – privatização de empresas locais
2 – redução de incentivos fiscais
3 – retirada de benefícios ao funcionalismo local não previstos para os servidores da União
4 – teto local de gastos corrigido pela inflação ou pela receita corrente líquida
5 – eliminação de vinculações nos orçamentos locais não previstas na Constituição Federal
6 – centralização da gestão financeira no Poder Executivo local
7 – abertura do mercado de gás canalizado
8 – contratação de serviços de saneamento básico por meio de concessões.

Dessas oito ações, o governo local deverá escolher pelo menos três.

Os Estados que serão ajudados têm baixo endividamento, mas estão muito comprometidos com a folha de pagamento de pessoal, por isso são impedidos de pegar empréstimos bancários com garantia da União.

O governo pretende antecipar até R$ 10 bilhões por ano em garantias para os Estados através dos empréstimos.

CidadeVerde

Notícias relacionadas

Bolsonaro diz que ‘garimpou’ e vetou filmes com temática LGBT

Junior Oliveira

Veja 10 órgãos que abrem inscrições para 3,7 mil vagas nesta segunda

Junior Oliveira

Produção de algodão no Piauí deve crescer mais de 100% neste ano

Junior Oliveira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais