31 C
Piauí
26 de outubro de 2021
Cidades em Foco
Destaque Geral

“Estão levando pânico à população do Piauí”, diz advogado Valter Alencar

Foto: Viagora

O advogado, empresário e presidente do Partido Social Cristão (PSC) no Piauí, Valter Alencar, em entrevista fez declarações sobre a medida de isolamento social decretada pelo Governo do Estado e pela Prefeitura de Teresina.

De acordo com o advogado, as medidas de isolamento social como forma de contenção da infecção pela Covid-19 tomadas pelo governador Wellington Dias e pelo prefeito Firmino Filho são “irresponsáveis” diante da quantidade de casos confirmados da doença no estado, e que a medida obrigando o fechamento do comércio irá prejudicar a saúde dos trabalhadores e das empresas.

“Eu compreendo que Teresina é o estado do Piauí hoje tenha apenas 90 casos confirmados de coronavírus e todos houve ligações de pessoas que vieram de São Paulo, Fortaleza e Rio de Janeiro. Portanto é um número muito pequeno ainda para a grandeza das ações que foram tomadas repercutindo em outro dano ainda maior, que é exatamente, o desmoronamento da nossa economia, e que vai afetar a saúde das empresas e das pessoas, principalmente”.

“Eu vejo que os governos, através de suas lideranças, estão tomando medidas irresponsáveis para algo que ainda está distante da necessidade das ações que deveriam ser feitas. Esse isolamento que a prefeitura e o governo estão fazendo é muito midiático no sentido de tomar proveito para outras ações que se confundem com atos de corrupção e de lesão ao patrimônio a esses recursos destinados para os fins da saúde pública do nosso estado”, disse Valter Alencar.

Segundo o empresário, a situação do Piauí é diferente dos demais estados, levando em consideração a quantidade de casos, e afirma que os gestores estão levando pânico para a população.

“Nós temos oito óbitos e 90 casos confirmados, a prefeitura diz que prefere quebrar as empresas, mas oito mortes é um número pequeno, lógico que para as oito famílias isso é grave, mas enquanto as outras pessoas vão morrer de outras doenças, quantas outras pessoas estão sendo impactadas e adquirindo doenças por causa de um decreto completamente irresponsável. Os entes públicos, o governo e a prefeitura estão levando pânico para a população. O governador e o prefeito de Teresina levam pânico a todo o Piauí com essa demonstração de casos totalmente inferior aos outros estados”, afirma o empresário.

Isolamento vertical

Valter Alencar se mostrou favorável ao chamado isolamento vertical, onde apenas as pessoas do grupo de risco ficam isoladas, ideia também defendida pelo presidente Jair Bolsonaro. O empresário afirma que os hospitais do Piauí estão vazios, já que oGoverno do Estado suspendeu a realização de cirurgias eletivas.

“Eu tenho defendido exatamente esse isolamento de pessoas que tenham as comorbidades exatamente porque os hospitais estão vazios, os leitos estão vazios. 80% dos leitos no Piauí estão vazios, até porque o governo se aproveitou da pandemia para não fazer as cirurgias eletivas, ou seja não estão gastando com as cirurgias eletivas e estão praticando vários desvios de recursos e gastos de recursos sem licitação, uma verdadeira roubalheira, que é o que está acontecendo. Os tratamentos de câncer estão suspensos, enquanto no Piauí inteiro existem 90 casos de coronavírus. Se cancelou, se suspendeu o tratamento de câncer, que é uma doença que vai levar a óbito se não for tratada, os hospitais estão 80% vagos e temos apenas 90 pacientes no Piauí inteiro”, comenta Valter Alencar.

Eleições 2020

Valter Alencar, que também é pré-candidato a prefeito de Teresina, falou acerca da situação das eleições municipais marcadas para este ano e das especulações sobre o possível prolongamento de mandatos devido a pandemia.

“O estado de calamidade dá ao gestor público a condição de comprar pelo preço que ele quer. Ora, se o estado de calamidades persiste e a eleição é retardada eles ficam no governo mais ainda. A gente sabe que quando o político tá saindo a roubalheira é gigantesca, imagina no estado de calamidade. Eu entendo que a eleição não deve ser alterada, o TSE não se pronunciou, eu mesmo conversei com um dos ministro do TSE, essa discussão ainda não virou pauta lá e se há comentários de ela ir para dezembro, é algo que está sendo especulado informalmente entre o próprio judiciário eleitoral”, afirmou.

Fonte: Viagora

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais