31.8 C
Piauí
7 de julho de 2022
Cidades em Foco
Educação Geral Piauí

Estudante de odontologia acampa na UFPI e pede retorno das aulas práticas

Estudante de odontologia acampa na UFPI em protesto pelo retorno das aulas práticas — Foto: Reprodução

O estudante do curso de odontologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Pedro Ilo Rebelo de Azevedo, montou acampamento no campus em Teresina nesta terça-feira (25), em protesto pelo retorno das aulas práticas, interrompidas em razão da pandemia da Covid-19.

Procurada pelo G1, a UFPI informou que o modelo de ensino remoto, adotado durante a pandemia, está associado às medidas sanitárias vigentes e que aguarda mudança no cenário para volta das atividades presenciais.

A instituição afirmou ainda que após o fim do semestre, em junho, haverá uma reavaliação do atual modelo para definir se haverá ou não mudanças no segundo semestre.

De acordo com Pedro, os estudantes que pedem o retorno das aulas práticas estão perto de concluir o curso. “Teve uma pesquisa com 165 alunos do curso, 10 deles querem esperar as reformas nas clínicas, mas o restante quer a volta urgente”, disse.

“Desde março de 2020 que nós estamos sem cursar nenhuma disciplina prática. Isso, faz com que as turmas não consigam avançar dentro do curso e nem concluir a graduação”, relataram os estudantes de odontologia em rede social.

Segundo o Pedro, todas as outras instituições de ensino superior no estado já retornaram com as aulas práticas. “Estamos esperando há um ano e dois meses já. As particulares voltaram em agosto do ano passado, a Universidade Estadual do Piauí voltou esse ano. Temos que protestar de alguma forma”, contou.

Pedro Ilo relatou que tem contado com o apoio de colegas de curso para ter mantimentos e que permanecerá acampado no campus da UFPI até o retorno das aulas práticas. A instituição não informou previsão de retorno.

O universitário destacou que a população também vem perdendo com a suspensão das atividades. Além do aprendizado com as aulas práticas, os alunos também prestam atendimento gratuito à comunidade através da clínica universitária.

“Continuamos com uma angústia sem fim para saber ao menos quando iremos retornar e conseguiremos nos formar. Retorno que é totalmente possível, já existem protocolos de biossegurança que possibilitem nossa volta de forma segura, tanto para alunos quanto pacientes. Não é necessário nada surreal para nosso retorno”, afirmam os alunos.

Fonte: G1-PI

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais