29.4 C
Piauí
17 de janeiro de 2021
Cidades em Foco
Geral Polícia

Estupro: enfermeiro se apresenta após justiça decretar prisão no Piauí

Foto: Yala Sena

O juiz José Olindo Gil Barbosa, da 5ª Vara Criminal da comarca de Teresina, decretou nesta quinta-feira (3) prisão do enfermeiro Ricardo da Silva Paz, suspeito de dopar e estuprar uma acompanhante dentro de um hospital.

O enfermeiro se apresentou à Polícia acompanhado de seu advogado após a prisão ser decretada. O magistrado concedeu prisão temporária por 30 dias.

Ele se apresentou por volta de 12h30 na Delegacia Geral e foi encaminhado ao 12º Distrito Policial.

Por volta das 15h30, o enfermeiro realizou exame de corpo delito no IML (Instituto Médico Legal) acompanho do advogado, Lúcio Tadeu, que faz sua defesa. A delegada Vilma Alves também acompanhou o preso no IML.

Lúcio Tadeu disse que a defesa vai analisar o inquérito e adotar as providências. Sobre o problema de saúde do enfermeiro, Lúcio disse que ele apresentou uma crise de depressão e procurou atendimento médico.

Matéria original

A delegada Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher Centro, informou ao portal Cidadeverde.com que indiciou o enfermeiro Ricardo da Silva Paz, suspeito de dopar e estuprar uma acompanhante dentro do Hospital São Marcos no último dia 30 de outubro. Nesta quinta-feira(03), familiares e amigos da vítima foram para frente do Tribunal de Justiça pedir que o mandado de prisão seja autorizado. 

A denúncia foi feita pela vítima a Central de Gênero e encaminhada a Delegacia da Mulher. A vítima estava acompanhando o sogro que é idoso e tinha feito cirurgia de bexiga. O suspeito é cunhado e compadre da vítima. Ele é casado com a irmã da denunciante.

“Ele foi indiciado por estupro com agravamento por ele ter dopado ela com um tranquilizante. A investigação não deixa dúvida de que foi um crime planejado”, disse a delegada.

Ao ser ouvido na delegacia, o enfermeiro permaneceu calado todo o tempo e não respondeu nenhum questionamento de Vilma Alves. Ele estava acompanhado de seu advogado.

A defesa do enfermeiro apresentou atestado médico de 15 dias e um pedido de internação afirmando que ele foi diagnosticado com depressão.

Vilma destaca que sete testemunhas, que são profissionais de saúde e que trabalham com o enfermeiro, afirmam que ele nunca apresentou qualquer problema mental. O Conselho Estadual de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) instaurou um processo ético disciplinar contra o enfermeiro.

 Fonte: CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais