32.7 C
Piauí
18 de maio de 2022
Cidades em Foco
Destaque Geral

Falta de insumos prejudica diagnóstico de dengue no Piauí

Foto: arquivo Cidadeverde.com

A falta de insumos para a realização de exames está prejudicando o tratamento de casos de dengue no Piauí. Segundo os especialistas, a ausência do diagnóstico precoce pode atrapalhar o enfrentamento da doença. Até a manhã desta sexta-feira (13), Teresina registrou quatro mortes por dengue, no estado o total de óbitos foi cinco, até o momento.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) informou que a falta de insumos é um problema de abastecimento nacional, e que por conta disso, as unidades de saúde devem priorizar casos graves, em grávidas e óbitos. (Leia a nota completa no final desta reportagem)

O professor Sthenio Sousa começou a apresentar dores pelo corpo e ao procurar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), recebeu de diagnóstico um provável caso de dengue, sem a realização de exame.

“A médica fez um questionário comigo, onde eu relatei todos os sintomas, ela perguntou se eu tinha algum sintoma gripal e eu respondi que não, e ali, através daquele questionário, daquela conversa, ela me diagnosticou com dengue e me encaminhou para tomar a medicação para alivio dos sintomas”, contou.

“Confesso que na hora não pensei em solicitar o exame para ter a certeza quer era dengue, porque você está com tanta dor, com tantas dificuldades, que você só pensa em resolver o problema em ser medicado”, completou o professor.

Infectologista Kelson Veras explica importância do diagnóstico precoce para dengue — Foto: Rede Clube

Infectologista Kelson Veras explica importância do diagnóstico precoce para dengue — Foto: Rede Clube

O infectologista Kelson Veras contou que o diagnóstico precoce ajuda os profissionais a tomarem decisões mais específicas para o tratamento de um paciente.

“O diagnóstico ideal é nos primeiros dias, para se tomar medidas mais específicas, porque com sete dias de dengue ou você já está praticamente curado ou então você está em uma forma grave, e aí nós não vamos ter tanto benefício de saber nesse momento tardio se era dengue ou se não era dengue”, explicou.

Nota da Sesapi

A Secretária de Estado da Saúde informa que devido a problemas de abastecimento no mercado nacional de insumos, a recomendação do ministério da saúde para a realização do diagnóstico laboratorial de arboviroses (dengue, Zika e chikungunya) seria definir os casos de testagem, priorizando casos graves, gestantes e óbitos.

Dessa forma, Sesapi e Lacen estabeleceram uma rotina de vigilância avaliando o sistema de informação para selecionar outras amostras para testagem além das prioridades, por exemplo casos internados com situações leves, municípios silenciosos em relação as notificações e municípios em situação de risco.

A Secretaria de Estado da Saúde esclarece ainda que está junto ao Lacen trabalhando para viabilizar a aquisição de insumos para garantir que os trabalhos do laboratório que vem sido de suma importância para a saúde do estado possam continuar.

Fonte: Layza Mourão, estagiária sob supervisão de Lucas Marreiros / G1-PI

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais