25.6 C
Piauí
24 de junho de 2022
Cidades em Foco
Geral Piauí

Governo do Piauí lança aplicativo para mapear Comunidades de Terreiros nesta sexta (21)

Imagem: reprodução

A partir desta sexta-feira (21), o Piauí contará  também com as tecnologias para identificar e registrar informações sobre as Comunidades Tradicionais de Terreiros do estado do Piauí> Trata-se do Aplicativo “Eu Creio”, que será lançado às 14h, no Salão Azul do Palácio de Karnak.

A elaboração do programa é uma parceria da Secretaria da Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc), por meio da Superintendência de Direitos Humanos, com a Agência de Tecnologia da Informação do Piauí e os movimentos sociais.

O Aplicativo EU CREIO – Mapeamento Sócio Econômico e Sócio Cultural das Comunidades Tradicionais de Terreiros do Estado do Piauí tem por objetivo identificar a quantidade de comunidades tradicionais de terreiros existentes no Estado e as reais condições sócioeconômicas e culturais.

O Secretário da Sasc, Zé Santana, destaca que o aplicativo “Eu Creio” será de suma importância para o reconhecimento e coleta de dados sobre as comunidades de terreiros de todo o estado, e o seu lançamento, nesta sexta (21),  marcará o início do mapeamento sócio econômico e sócio cultural das Comunidades Tradicionais de Terreiros.“ O aplicativo possibilitará o mapeamento dos terreiros, oferecendo várias funções como geo-localização dos terreiros com seus respectivos endereços, contatos, eventos, calendários oficiais,  cadastramento dos pais e mães de santo, filtros e buscas, notificações de e-mail e mapas”, explica Santana.

O aplicativo poderá ser baixado em aparelhos de celular, tablets e computadores, não tendo custo financeiro e sendo totalmente voltado à colaboração dos povos de terreiros. Ele está sendo desenvolvido pela equipe técnica da  Agência de Tecnologia da Informação do Estado do Piauí – ATI.

Na efetivação dessa importante ação, diversos órgãos de governo foram parceiros sendo os principais a Sasc, por meio da Superintendência de Direitos Humanos/ Gerência de Enfrentamento a Intolerância Religiosa e Apoio às Comunidades Tradicionais, Secretaria de Governo, por meio da SUPRIS, Agência de Tecnologia (ATI) e os parceiros dos seguintes movimentos sociais: Renafro, Aspaja, ANPMA-Brasil, Amofil, Feubra, dentre outras.

Da Redação, Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais