28.9 C
Piauí
12 de novembro de 2019
Cidades em Foco
Destaque Economia Geral

IBGE revela aumento da extrema pobreza no Brasil; Piauí tem 14,2%

Dados publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que cerca de 13,5 milhões de pessoas viviam em situação de extrema pobreza no Brasil em 2018. O dado registra um aumento de 0,1% em relação ao ano de 2017 e representa um contingente superior à população total de países como Bolívia, Bélgica, Grécia e Portugal.

Os dados são da Síntese de Indicadores Sociais que aponta que quase metade (47,0%) dos brasileiros abaixo da linha de pobreza em 2018 estava na Região Nordeste.

No Piauí, segundo o levantamento, 14,2% da população pesquisada está abaixo da linha da pobreza. O índice é superior à média do Nordeste (13,6%) e do país (6,5%). O estado tem o terceiro maior índice, ficando abaixo dos estados do Maranhão, que registrou 19,9% da população nessa situação e de Alagoas que registrou 17,2%. O melhor menor índice da região ficou com o Rio Grande do Norte, com 10,3%. Nacionalmente, Santa Catarina registrou o menor percentual (1,5%)

Para o Piauí, em relação ao ano passado, o índice representa uma queda de 0,6 % na parcela de pessoas em extrema pobreza, ao contrário de outros estados, onde o percentual aumentou. No entanto, o índice piauiense em 2018 só é menor que o valor registrado em 2017. Em 2014, o IBGE indicava que 12,4 % estava em extrema pobreza e o percentual cresceu desde então, como ocorreu com os demais estados da região.

Aumento da pobreza vem desde 2014

Durante o período de 2012 a 2014, o Brasil registrou redução de 1,3 ponto percentual na proporção de pessoas com rendimento inferior a US$ 1,90 PPC (menos de R$ 8,00 por dia), quando ela chegou a 4,5%.  A queda, no entanto, foi seguida de aumento de 2,0 pontos percentuais entre 2014 e 2018, resultando em 6,5% da população brasileira com rendimento inferior a menos de R$ 8 por dia em 2018.

O número total de pessoas em extrema pobreza no Brasil equivale a aproximadamente a soma das populações dos estados do Piauí e Ceará.


.

Perfil da população

Segundo o IBGE, a pobreza não afeta a todos de maneira similar, havendo alguns perfis populacionais que estão mais propensos a possuir rendimentos diários baixos. Grupos populacionais relacionados à faixa etária, gênero e cor tendem a ser mais vulneráveis e estão entre aqueles com menores rendimentos.

Crianças entre 0 e 14 anos representam 42,3%, em comparação com a população acima de 60 anos, em que o percentual era de 7,5%. Dentre pessoas de cor ou raça preta ou parda, o percentual era de 32,9%, ante 15,4% de pessoas de cor ou raça branca.

A formação familiar dos domicílios também revela que dentre aqueles formados por responsável sem cônjuge e com filhos de até 14 anos, mais da metade das pessoas estavam abaixo da linha (54,0%), em especial, quando esse responsável é mulher preta ou parda (63,0%).

Fonte: Valmir Macêdo / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais