22.4 C
Piauí
27 de junho de 2022
Cidades em Foco
Geral Polícia

Irmãos são condenados a 35 anos de prisão por morte de gestor de presídio no Piauí

Foto: Arquivo Pessoal

O Tribunal do Júri da 1ª Vara Criminal de Parnaíba condenou, na última quinta-feira (19), os irmãos Rauellison de Souza Cândido Souza Araújo a mais de 35 anos de prisão pela morte do policial penal José Silvino da Silva, 56 anos, em novembro de 2017.

Conforme a decisão, Rauellison de Souza foi sentenciado a uma pena de 35 anos, 03 meses e 10 de reclusão pelos crimes de homicídio qualificado, disparo de arma de fogo em via pública e associação criminosa.

Já Cândido Souza Araújo cumprirá 39 anos, 04 meses de reclusão e 03 meses e 15 dias de detenção pela prática de cinco crimes: homicídio qualificado, disparo de arma de fogo em via pública, associação criminosa, falsidade ideológica e comunicação falsa de crime.

“Nego aos acusados o direito de recorrerem em liberdade, para resguardar a ordem pública. Existem indícios de periculosidade de ambos os condenados, consistentes nas várias condenações por delitos graves, como homicídios e roubos, e pelas múltiplas circunstâncias negativas, os antecedentes negativos, e por terem ceifado a vida de um agente do sistema prisional, demonstrando, assim, possuir um intenso impulso homicida e repulsa para com o Poder Público”, diz o texto da sentença.

Confira a sentença na íntegra

O crime

José Silvino da Silva era coordenador da penitenciária Mista de Parnaíba e foi assassinado a tiros no dia 23 de novembro de 2017. Segundo a Polícia Militar disse à época, a vítima, que também era empresário, estava fechando seu estabelecimento comercial quando os irmãos chegaram em uma motocicleta e atiraram contra José Silvino.

O então comandante do 2º Batalhão da PM de Parnaíba, major Antônio Pacífico, informou que a dupla não roubou nada do agente penitenciário e que, por conta disso, o caso era considerado pela polícia como execução.

“A vítima foi assassinada em seu estabelecimento comercial por motivo futil e torpe, com emprego de meio cruel e recurso que tornou impossível ou dificultou a sua defesa, e ainda por ser Agente Penitenciário”, alegou o MP na denúncia contra os irmãos.

Fonte: Nataniel Lima / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais