25.2 C
Piauí
4 de outubro de 2022
Cidades em Foco
GeralPolítica

Lula declara R$ 7,4 milhões em bens ao TSE; veja patrimônios informados por presidenciáveis

Ex-presidente Lula - Foto: Ricardo Stuckert / Instagram de Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou à Justiça Eleitoral possuir bens no valor de R$ 7,4 milhões, quantia inferior à informada em 2018, quando estava preso em Curitiba e foi impedido de concorrer à Presidência por causa das condenações na Lava Jato.

Nas eleições anteriores, os bens do petista somavam R$ 7,98 milhões, cerca de meio milhão a mais, em valores nominais.

Corrigido pela inflação, o patrimônio de Lula era de cerca de R$ 10 milhões na época, R$ 2,7 milhões a mais do que os valores informados neste ano.

As condenações do ex-presidente foram anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2021, tornando-o novamente elegível.

Lula registrou sua chapa no sábado (6), com seu ex-adversário Geraldo Alckmin (PSB) como candidato a vice-presidente.

O ex-governador de São Paulo declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 1 milhão em bens, valor também inferior ao informado em 2018, quando era de R$ 1,37 milhão. Corrigidos pela inflação, os bens de Alckmin somavam R$ 1,7 milhão.

Em nota à CNN, a assessoria do ex-presidente afirmou que não irá comentar as informações sobre o patrimônio de Lula e sobre a prévia do plano de governo enviada à Justiça Eleitoral.

Entre os três candidatos mais bem posicionados nas pesquisas de intenção de voto, o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-governador Ciro Gomes (PDT) ainda não formalizaram suas candidaturas junto ao TSE. Por isso, seus dados patrimoniais ainda não são públicos.

A senadora Simone Tebet (MDB) declarou um patrimônio de R$ 2,3 milhões, valor nominal superior ao informado em 2014, quando foi eleita. Naquele ano, seus bens somavam R$ 1,5 milhão (R$ 2,5 milhões corrigidos pela inflação no período).

A vice dela, a também senadora Mara Gabrilli (PSDB), declarou R$ 12,8 milhões em bens. Em 2018, quando foi eleita, seu patrimônio informado foi de R$ 4,3 milhões (R$ 5,5 milhões em valores corrigidos).

Registros no TSE

O pedido de registro representa a etapa final para que as candidaturas sejam analisadas e deferidas pelo TSE. O prazo é até 15 de agosto. No dia seguinte, as campanhas estão liberadas. O primeiro turno das eleições está marcado para 2 de outubro.

Ao todo, sete candidatos oficializaram até este domingo (7) a intenção de concorrer ao Palácio do Planalto.

Veja a relação, em ordem alfabética, com o respectivo valor de bens declarados:

  • Felipe d’Avila (Novo): R$ 24,6 milhões
  • Léo Péricles (UP): R$ 197,31
  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT): R$ 7,4 milhões
  • Pablo Marçal (Pros): R$ 16,9 milhões
  • Simone Tebet (MDB): R$ 2,3 milhões
  • Sofia Manzano (PCB): R$ 498 mil
  • Vera Lúcia (PSTU): R$ 8.805

Ainda são esperados os registros das seguintes candidaturas:

  • Ciro Gomes (PDT)
  • Jair Bolsonaro (PL)
  • José Maria Eymael (DC)
  • Roberto Jefferson (PTB)
  • Soraya Thronicke (União Brasil)

Programa de governo

O ex-presidente Lula também apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) as diretrizes para um “programa de reconstrução e transformação do Brasil”.

O documento é uma prévia do plano de governo do petista e foi parcialmente divulgado em junho.

Nele, o PT defende ser preciso “revogar o teto de gastos e rever o atual regime fiscal brasileiro, atualmente disfuncional e sem credibilidade”.

Também propõe “proteger o patrimônio do país” e “recompor o papel indutor e coordenador do Estado e das empresas estatais para que cumpram, com agilidade e dinamismo, seu papel no processo de desenvolvimento econômico e progresso social, produtivo e ambiental”.

As diretrizes citam ainda a necessidade de um amplo debate no Legislativo sobre o acesso à informação para garantir a “regulamentação dos mecanismos protetores da pluralidade, da diversidade, com a defesa da democratização do acesso aos meios de comunicação”.

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

Fonte: CNN Brasil

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais