20.5 C
Piauí
16 de outubro de 2019
Cidades em Foco
Geral Polícia

Mais de 3 mil documentos em branco são furtados do Detran

Mais de 3.500 documentos em branco sumiram do almoxarifado do  Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PI), e o caso só foi comunicado à Polícia Civil após nove dias do ocorrido em Teresina. O furto ocorreu no dia 18 de junho em um depósito em frente a sede do Detran-PI, na Avenida Gil Martins, zona Sul.

De acordo com o boletim de ocorrência, no depósito havia papeis referentes a confecção do  Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) conjugado com o CRV (Certificado de Registro do Veículo); algumas pessoas chamam de DUT ou DUAL, que é o documento de licenciamento e de compra/venda do veículo.

O boletim cita o sumiço de exatos 3.598 DUT/DUAL em branco, que estariam guardados neste galpão, de responsabilidade do Detran-PI.  Os documentos em brancos estavam guardados em duas caixas, que foram levadas do local em circunstâncias desconhecidas até o momento.

Documentos cancelados 

O diretor-geral do Detran-PI, Arão Lobão, declarou ao Jornal do Piauí em entrevista nesta segunda-feira (08), que a numeração referente aos documentos furtados foi cancelada. Portanto, estão inaptas para o uso.  O diretor afirmou que alguns documentos já foram encontrados por meio de inquérito policial na posse de falsários.

“Todos esses documentos possuem uma numeração específica e já foram cancelados no sistema. Então, eles já estão inaptos para o caso de uma aferição em um posto de controle, em uma blitz. Ao ser consultado no sistema, automaticamente, vão detectar que estão cancelados”, disse  o diretor.

A Polícia Civil investiga o caso. O diretor do Detran ressaltou que os documentos furtados são antigos e não possuem alguns critérios de segurança atualmente oferecidos pelo Departamento de Trânsito aos seus clientes.

Arão Lobão ressaltou que se um desses documentos furtados cair em uma fiscalização será facilmente identificado. A pessoa que estiver portando esse documento falsificado poderá responder criminalmente.

Carlienne Carpaso (com informações de Tiago Melo)

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais