23.4 C
Piauí
25 de fevereiro de 2021
Cidades em Foco
Geral Polícia

Mais de 700 presos devem retornar ao sistema prisional de forma escalonada

Fotos: Ascom/Sejus

Mais de 700 presos do regime semiaberto devem retornar ao sistema prisional  a partir desta quinta-feira (21). O retorno será escalonado para evitar aglomerações na entrada da Colônia Agrícola Major Cesar. A decisão judicial determina que o retorno ocorra entre os dias 21 e 27 de janeiro. Esses apenados estão em prisão domiciliar temporário e excepcional em razão da pandemia da Covid-19, devido o risco de disseminação da doença em espaços de confinamento, desde o mês de março. 

A Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus) enviou ofício para a Vara de Execuções Penais de Teresina do Tribunal de Justiça do Piauí solicitando o retorno gradual dos detentos.  O mesmo ofício foi encaminhado à Defensoria Pública do Estado do Piauí informando que a Sejus comunicou ao juiz a proposta de retorno escalonado.

O retorno escolado também permite melhor organização da testagem contra a Covid-19 dos presos que irão retornar à Colônia Agrícola Major César, localizada na BR-343 entre Teresina e Altos.

“O Poder Judiciário determinou que eles tinham que retornar ao sistema penitenciário. Como é um grande quantitativo de apenados e estamos vivenciando essa questão da pandemia, a Secretaria de Justiça sugeriu o escalonamento de recebimento, como já acontece em outros ‘saidões’. O Poder Judiciário em decisão do desembargador Edvaldo Moura autorizou que esses apenados se apresentem na data de hoje até o dia 27 (de janeiro), obedecendo alguns critérios”, explica o delegado Charles Pessoa, diretor de Inteligência da Sejus.

De acordo com a Sejus, aproximadamente 700 presos foram beneficiados. Já a Defensoria Pública estima que 900 reeducandos foram atendidos com a decisão da Justiça. O diretor Charles Pessoa ressalta que a Colônia Major Cesar, para onde os apenados vão retornar, possui equipe de saúde e de assistência militar.

“Todos esses apenados que foram beneficiados com a prisão domiciliar, que estão cumprindo pena no regime semiaberto, agora vão ter que retornar ao sistema penitenciário. O secretário (de Justiça) já determinou a elaboração de um planejamento para receber todos esses presos com segurança, sem colocar em risco nem os presos nem os nossos servidores da Secretaria de Justiça”, disse o diretor da Sejus.

Cronograma de Retorno de Reeducandos do Regime Semiaberto

  • Colônia Agrícola Major César de Oliveira

21/01/2021: Internos com iniciais de A – E
22/01/2021: Internos com iniciais de F – I
23/01/2021: Internos com iniciais de J – O
24/01/2021: Internos com iniciais de P – Z

  • Unidade de Apoio ao Semiaberto (UASA) e Penitenciária Feminina de Teresina

21/01/2021: TODOS (AS)

  • Cadeia Pública de Altos (CPA), Casa de Detenção de Altos (CDP), Penitenciária Professor José de Ribamar Leite e Penitenciária Irmão Guido

25/01/2021: TODOS (AS)

  • UNIDADES PENITENCIÁRIAS DO INTERIOR DO ESTADO

Região Norte: Penitenciária de Parnaíba, Penitenciária de Esperantina e Penitenciária Regional de Campo Maior

26/01/2021: TODOS (AS)

Região Sul: Penitenciária Gonçalo de Castro Leite (Vereda Grande), Penitenciária de Picos e Penitenciária de Oeiras

27/01/2021: TODOS (AS)
Fonte: Sejus

Fotos: Ascom/Sejus

Reunião 

Uma reunião entre os membros da Defensoria Pública e a Sejus, realizada na terça-feira (19), discutiu sobre o retorno dos reeducando à unidade prisional.  Participaram do encontro, o secretário de Justiça, Carlos Edilson, o defensor público geral, Erisvaldo Marques, e os defensores públicos José Weligton de Andrade, Viviane Setúbal e Igo Sampaio.

“Há uma preocupação com esse retorno. É uma grande quantidade de pessoas que estão retornando aos presídios. O que estava previsto era o retorno de todos os presos na quinta. O retorno gradual foi uma solicitação da Sejus ao juízo da execução penal, após reunião com a Defensoria. Geralmente, essas pessoas sempre vêm acompanhado de um familiar, podendo gerar aglomerações. Também tem que ser feita a testagem (para a Covid-19) dos que vão retornar ao presídio. Então, seria melhor que fosse escalonado. Voltaria uma quantidade de presos e logo depois a outra quantidade até finalizar todo o retorno”, diz o defensor público geral, Erisvaldo Marques.

A opção pelo retorno gradual também é garantir maior segurança aos trabalhadores do sistema prisional, quanto a transmissibilidade do novo coronavírus.

“Estamos dialogando e buscando a melhor saída no sentido de evitar aglomerações. E estamos sempre abertos para esse amplo debate para o melhor do sistema penitenciário. A Defensoria Pública faz parte do sistema de Justiça e estamos aqui dialogando permanentemente com a instituição”, relata o secretário de Justiça, Carlos Edilson.

Fonte: Carlienne Carpaso / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais