20.5 C
Piauí
16 de julho de 2019
Cidades em Foco
Geral Polícia

Marido confessa que mandou matar mulher por não aceitar fim do casamento em Floriano

O mecânico Alexandre de Matos Osório, 48 anos, confessou ser o mandante da tentativa de feminicídio contra a ex-esposa, Jeovane de Sousa Oliveira. A mulher foi alvejada com seis disparos de arma de fogo na noite do último sábado (22), na cidade de Floriano, no Sul do Estado.

Áudio divulgado pela Polícia Civil revela ameaça feita por Alexandre de Matos contra Jeovane Sousa. Preocupada com as ameaças que estava sofrendo, Jeovane instalou um aplicativo no celular para gravar ligações.

Em uma das ligações gravadas, Alexandre diz à ex-mulher Jeovane que “não tem mais nada a perder” e tanto faz “morrer como matar”. No depoimento feito à Polícia Civil, Alexandre admitiu que mandou matar a ex-companheira porque estava se sentindo traído.

Eles foram casados por 18 anos e se separaram em dezembro de 2018. “Ele  [Alexandre] disse que contratou duas pessoas para praticar o crime. Disse que se sentiu traído porque ela havia iniciado outro relacionamento em fevereiro deste ano”, conta a delegada Nayana Paz.

A delegada conta que Jeovane já havia registrado Boletim de Ocorrência contra o ex e ,neste mês de junho, as ameaças de mortes se intensificaram.  Uma medida protetiva de urgência chegou a ser expedida, mas Alexandre descumpriu a ordem judicial.

No sábado Jeovane estava chagando em casa quando foi abordada por dois homens em uma motocicleta, que efetuaram os disparos. O crime foi praticado na frente da filha de Alexandre e Jeovana, uma adolescente de 16 anos.

Jeovane foi socorrida e internada no Hospital Regional Tibério Nunes. A irmã dela, Jorlane Silva, disse que Jeovane está internada na UTI, mas não corre risco de morte. Os disparos atingiram sua mão, boca e tórax.

Alexandre foi autuado em flagrante por tentativa de feminicídio e será ouvido em audiência de custódia na manhã desta segunda-feira (24). A família da vítima espera que a justiça seja feita e ele permaneça preso.

“Ele batia nela e era bem agressivo. A gente espera, com fé em  Jesus, que ele continue preso”, disse Jorlane.

A Polícia Civil tenta identificar e prender os dois suspeitos de executar a tentativa de feminicídio.

Fonte:Izabella Pimentel / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Em audiência no Senado, Marcelo Castro defende Previdência “humana e justa”

Junior Oliveira

Como ler as mensagens do WhatsApp e Facebook Messenger sem ninguém ver você online

Junior Oliveira

Oposição da Venezuela ainda não deve celebrar vitória sobre o chavismo

Junior Oliveira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais