‘Nunca vou perder a fé na Justiça’, diz Assis Carvalho sobre processo na Justiça

O deputado federal, Assis Carvalho (PT), comentou sobre o processo que responde por improbidade administrativa e declarou que “nunca vai perder a fé na Justiça”. O petista foi condenado em  1ª instância na Justiça Federal do Piauí, mas a defesa do parlamentar recorreu ao Tribunal Regional Federal, em Brasília. No ano passado, a relatora do caso confirmou a condenação, mas houve mudança na relatoria e um novo desembargador assumiu o caso e remarcou o julgamento que deveria ter ocorrido ontem (20).

“Houve decisão monocrática no Piauí que a própria decisão me inocenta e depois me condena porque diz que não houve benefício pessoal… depois vem um questionamento sobre licitação que não era eu que fazia.. não há dúvidas de que o processo tem muitas falhas e de que a Justiça será feita. Nunca vou perder minha fé na Justiça”, disse Carvalho sobre o processo.

Já em relação a intervenção no Rio de Janeiro, o petista declarou que  o Governo tenta ‘jogar para a plateia’ o problema da Segurança Pública. Segundo ele, a intervenção no Rio é a 12ª e, desta vez, foi decretada apenas com um nome diferente.

“Quem tem responsabilidade em discutir Segurança não vê nenhum sustentação. O Exército já estava lá…o  que eles tentam fazer é uma situação de ‘vale-tudo’. Em cima do morro tem ladrão e pessoas envolvidas com drogas, mas também tem pessoas honestas. O Exército não foi preparado para enfrentar situações como essa. O Exército é para enfrentar guerra, proteger fronteiras…não tem capacidade de lá de cima do morro separar o joio do trigo”, declarou o  Carvalho.

Metaforicamente, Assis Carvalho disse ainda que o Governo usa uma “medicação errada” [intervenção] para um problema que existe [Segurança Pública].

“Não dá para tratar de uma doença com uma medicação que não foi preparada para isso. Não há possibilidade nenhuma de uma ação desta forma dar certo. O Michel Temer faz isso para aliviar o foco na corrupção”, reitera.

Em entrevista ao Notícia da Manhã, Assis Carvalho comentou ainda sobre a possibilidade do presidente Michel Temer concorrer as eleições à Presidência da República.

“Admitir uma candidatura de um presidente que tem 3% de apoio e 90% de rejeição é acreditar no Papai Noel. Essa possibilidade não existe. É fantasia de quem tem medo de urna. Sobre a intervenção no Rio de Janeiro digo que foi feita com pilares midiáticos  para jogar para plateia”, disse.

 

 

Fonte:CidadeVerde

Compartilhar:

Júnior Oliveira

Diretor Geral