33.1 C
Piauí
21 de junho de 2021
Cidades em Foco
Geral Polícia

Operação prende suspeitos de fraudar INSS e gerar prejuízo de R$ 2 milhões

Fotos: Polícia Federal no Piauí

Atualizada às 10h

Operação da Polícia Federal (PF), deflagrada nesta terça-feira (08), mira na desarticulação de uma associação criminosa especializada na realização de fraudes em benefícios assistenciais ao idoso. Duas pessoas foram presas preventivamente. Os criminosos chegaram a fraudar pelo menos 34 benefícios com prejuízo efetivo aos cofres públicos de mais de R$ 2 milhões. O cumprimento de mandados ocorreu nas cidades de Teresina e José de Freitas, no Piauí, e em Timon, no Maranhão. A operação foi denominada “Réplica”.  A policia apreendeu R$ 60 mil em espécie em José de Freitas.

De acordo com a Polícia Federal, “no decorrer das investigações, já foram identificados 34 benefícios assistenciais com indícios de fraude, os quais já causaram um prejuízo efetivo ao INSS no montante de aproximadamente R$ 2,1 milhões e com potencial de lesar o erário na ordem superior a R$ 3,5 milhões, caso não fossem cessadas as atividades criminosas”.

A operação acontece em parceria com a Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do Ministério da Economia (CGINT) em trabalho da Força Tarefa Previdenciária no Estado do Piauí.

“Na data de hoje, a Polícia Federal deflagrou a Operação Réplica em parceria com a CGINT, órgão que compõe a Força Tarefa Previdenciária. O objetivo da operação foi desarticular uma associação criminosa voltada a fraudar benefício assistenciais ao idoso. Até o momento foram identificados 34 benefícios fraudados por essa associação criminosa. Foram apreendidos aproximadamente R$ 60 mil, além de vasta documentação: documentos falsos, requerimentos de concessão de benefício, histórico de créditos, cartões bancários”, diz o delegado de Polícia Federal, Eduardo Monteiro.

Um dos investigados, com mandado de prisão preventiva, já usava, inclusive, tornozeleira eletrônica por outros crimes cometidos.

A operação, segundo a PF, mobilizou “35 policiais federais para o cumprimento de nove mandados judiciais, sendo dois mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Teresina/PI”.

“A pedido da Polícia Federal foi determinado o bloqueio judicial das contas bancárias vinculadas a 40 CPFs envolvidos nas fraudes identificadas, bem como foi determinada a suspensão judicial de 34 benefícios assistenciais irregulares”, acrescentou a PF.

A Polícia Federal ressalta que “os investigados poderão responder pelos crimes de Associação Criminosa (Art. 288 do Código Penal), Estelionato Majorado (Art. 171, § 3º do Código Penal); Falsidade ideológica (Art. 299 do Código Penal) e Uso de Documento Falso (Art. 304 do Código Penal)”.

“O nome da Operação decorre do fato de um dos investigados ter suas fotografias replicadas em diversos documentos de identificação, passando-se por pessoas inexistentes”.

  • pf_op_08.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_10.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_9.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_8.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_7.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_6.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_5.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_4.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_3.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_2.JPGPolícia Federal no Piauí
  • op_pf_1.JPGPolícia Federal no Piauí

Fonte: Carlienne Carpaso / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais