24.2 C
Piauí
28 de fevereiro de 2021
Cidades em Foco
Economia Geral Internacional

Petrobras tem 2º maior tombo da história e perde quase R$ 75 bilhões no dia

Petrobras - Foto ilustrativa reprodução do braziljournal

Com o forte tombo na cotação das ações nesta segunda-feira (22), a Petrobras perdeu bilhões em valor de mercado. Segundo levantamento da provedora de informações financeiras Economatica, a estatal encolheu R$ 74,2 bilhões apenas no pregão de hoje.

Foi a segunda maior queda diária em valor da mercado da Petrobras desde o início do plano Real.

Na sexta-feira (19), antes mesmo do anúncio do presidente Jair Bolsonaro da indicação de um novo presidente-executivo para a Petrobras, a estatal já tinha visto o seu valor na Bolsa encolher R$ 28 bilhões.

Com o derretimento das ações da Petrobras nesta segunda, a perda de valor de mercado em duas sessões superou os R$ 100 bilhões.

Na noite de sexta, Bolsonaro anunciou a indicação do general Joaquim Silva e Luna, atual diretor da Itaipu Binacional, para a presidência da Petrobras, no lugar de Roberto Castello Branco, gerando muitas críticas. Para que a troca na presidência da Petrobras seja concretizada, a indicação ainda precisa do aval do Conselho de Administração da Petrobras, que tem reunião prevista para esta terça-feira (23).

O levantamento da Economatica desta segunda considera o valor de fechamento dos papéis. As ações ordinárias (PETR3) recuaram 20,48% (R$ 21,55), e as preferenciais (PETR4) registraram queda de 21,51% (R$ 21,45). Clique aqui para ver as cotações.

Maiores tombos diários da Petrobras — Foto: Economia G1

Maiores tombos diários da Petrobras — Foto: Economia G1

A Petrobras foi avaliada nesta segunda na bolsa em R$ 280,5 bilhões, contra R$ 382,9 bilhões no fechamento da última quinta-feira (18), retrocedendo para o menor patamar desde novembro de 2020. No início do governo Bolsonaro, valia na bolsa R$ 316 bilhões. Em maio de 2008, chegou a valer R$ 510 bilhões.

Segundo a Economatica, a maior queda diária já registrada no valor de mercado da Petrobras foi registrada no dia 9 de março do ano passado, na esteira de um tombo nos preços internacionais do petróleo, quando a estatal perdeu R$ 91,1 bilhões.

A deterioração dos ativos também atingiu outras empresas estatais. Nesta segunda, o valor de mercado do Banco do Brasil encolheu R$ 10,8 bilhões, e o da Eletrobras diminuiu em R$ 280 milhões.

Repercussão negativa

A decisão e Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras repercutiu negativamente entre investidores, com vários analistas cortando a recomendação dos papéis, bem como reduzindo preços-alvo.

A XP Investimentos, por exemplo, cortou a recomendação para os papéis da Petrobras de “neutro” para “venda” no domingo, em relatório sob o título “Não há mais como defender”.

“As declarações recentes do presidente acendem um enorme sinal amarelo – senão vermelho ao cenário político local”, afirmou o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, em comunicado a clientes.

Já para a equipe a Mirae Asset, a decisão de Bolsonaro “tende a comprometer a venda de ativos da empresa, que vinham tendo uma performance positiva”.

Ações das estatais Eletrobras e Banco do Brasil também caíam forte na B3 nesta segunda.

“O momento político no Brasil não é um dos melhores diante de tantas de urgências que nós temos, reformas para serem aprovadas, austeridade fiscal e controle de gastos públicos. No atual momento em que o país se endivida mais. Tudo isso em meio a uma pandemia que ainda não foi embora”, avaliou Rafael Panonko, analista chefe da Toro Investimentos.

Fonte: G1

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais