Piauí abre 240 novos empregos; 80% na agricultura

Em julho, o Piauí admitiu 7.042 pessoas e demitiu 6.802, gerando um saldo positivo de 240 empregos. Com esse resultado, o Estado ocupa a 16ª posição entre as demais unidades federativas. No Brasil, o saldo também ficou posito, com a abertura de 35.900 postos de trabalho. Os dados são do Caged, do Ministério do Trabalho e Emprego.

Dentre os nove Estados do Nordeste, em julho, o Piauí ficou atrás apenas de Sergipe (-309) e Alagoas (-141). Os demais estados tiveram resultados melhores. O Ceará teve o maior saldo da região, com 1.871 postos novos, e São Paulo teve o melhor saldo nacional, com 21.805 empregos criados.

O pior saldo foi registrado no Rio de Janeiro, que fechou 9.320 postos de trabalho.

Resultado por setor

No Piauí, o pior resultado foi no setor de construção civil, que fechou 83 postos. A agricultura, na outra ponta, teve o menor saldo, com 191 novos empregos. O comércio varejista teve saldo de 138 empregos, enquanto o atacado fechou 30 postos. No final, o comércio ganhou 108 empregos. O setor de serviços ficou negativo em 52 postos. Veja o resumo:

– Agricultura: +191

– Indústria: + 122 (com destaque para os 123 novos postos da indústria farmacêutica)

– Comércio: +108

– Extrativa mineral: +31

– Administração direta: -4

– Serviços: -52

– Serviços de utilidade pública: -73

– Construção civil: -83

Mês anterior

Em junho, o Piauí tinha atingido um resultado melhor, com saldo de 712 empregos – era o terceiro do Nordeste, ficando atrás apenas do Maranhão e de Pernambuco. Era o sétimo do país.

 


Fonte:CidadeVerde

Compartilhar:

Por: Júnior Oliveira

Diretor Geral