23.2 C
Piauí
12 de novembro de 2019
Cidades em Foco
Geral Piauí

Piauí registra 4º caso de Febre do Nilo Ocidental e paciente está com sequelas

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina confirmou, no início da tarde dessa terça-feira (15), o quarto caso de febre do Nilo Ocidental no estado do Piauí. Trata-se de uma paciente do sexo feminino que sofreu quadro agudo de encefalite, inflamação do sistema nervoso, no mês de abril de 2019.

A mulher foi internada no Hospital de Urgência de Teresina, fez o tratamento e recebeu alta. Segundo  a FMS, a paciente ficou com sequelas neurológicas.  A FMS está investigando a possibilidade dela ter adquirido a doença no Piauí (caso autóctone).

“Isso porque a paciente esteve nos municípios de Cabeceiras – PI e Lagoa Alegre – PI, nas semanas anteriores ao adoecimento”, explica o neurologista da FMS, Marcelo Vieira. A diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba, lembra que o primeiro caso humano de Febre do Nilo Ocidental foi registrado no município de Aroeiras do Itaim – PI, em 2014. “

Desde então, outros dois casos haviam sido confirmados nos municípios de Picos – PI e Piripiri – PI, ambos em 2017. Os casos em equídeos já foram detectados nos estados do Ceará, do Espírito Santo e de São Paulo”, afirma.

A febre do Nilo Ocidental é uma infecção causada por um vírus e transmitida por meio da picada de mosquitos comuns, principalmente do gênero Culex. A doença é originária do Egito, norte da África, e cerca de 80% dos casos em humanos não apresentam sintomas. Em 20% dos casos os principais sintomas são a febre alta, dores de cabeça. Doença de notificação compulsória imediata (em até 24h) em todo o território nacional, desde 2006, a Febre do Nilo afeta o sistema neurológico e manifesta-se na forma de encefalite, paralisia flácida aguda ou meningite asséptica, podendo levar à morte em 10% dos casos ou deixar sequelas neurológicas em significativa proporção dos sobreviventes.

“A prevenção da doença dá-se através de medidas para minimizar a proliferação e o contato dos mosquitos com humanos. Todos os casos suspeitos em Teresina são notificados e investigados laboratorialmente para febre do Nilo Ocidental, em parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí e o Instituto Evandro Chagas”, finaliza Marcelo Vieira.

Izabella Pimentel [Com informações da FMS]

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais