21.2 C
Piauí
6 de dezembro de 2019
Cidades em Foco
Geral Polícia

Polícia descobre 19 empresas laranjas no Piauí em operação com Goiás

Com a prisão de dois grandes atacadistas do País, a Polícia do Piauí descobriu o funcionamento de 19 empresas laranjas no estado. Os empresários João Batista Victor e Maurício Miguel foram presos em Anapólis (GO) suspeitos de integrarem um esquema especializado em fraudar o fisco piauiense. Segundo estimativa da Polícia o prejuízo chega a R$ 93 milhões aos cofres públicos.

O delegado João José, da Delegacia Contra a Ordem Tributária (Decortec), informou que metade dos R$ 93 milhões de impostos já estão prescritos.
“Se os empresários pagarem a dívida que pode ser mais de R$ 50 milhões, eles podem ser soltos pelo juiz”, disse o delegado.

O titular da Delegacia Contra a Ordem Tributária (Decortec), James Guerra disse que a operação é para combater empresas laranjas criadas para fraudar o fisco piauiense.

Na manhã de hoje (15), os dois empresários foram ouvidos e utilizaram o direito de permanecerem calados durante o depoimento na sede do Grupo Interinstitucionais de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária (Grincot). Apesar disso, as perguntas foram realizadas pelo Ministério Público e a Polícia Civil.

De acordo com o delegado João José, eles informaram que só falariam na Justiça.

“Fizemos várias perguntas sobre a sonegação tributária, mas disseram que só falam em juízo. Foram mais de quatro horas de interrogatório e eles sem responder”, afirmou o delegado.

João José informou ainda que os advogados dos suspeitos acompanharam o interrogatório e já deram entrada no pedido de Habeas Corpus no Tribunal de Justiça e aguardam decisão. Enquanto isso eles devem continuar presos na Polinter.

Prisão 

Dois grandes atacadistas do Centro-Oeste do país foram presos na última quarta-feira(10), por policiais do Piauí, na cidade de Anápolis, onde moram. Eles são suspeitos de sonegar impostos ao Piauí, além de falsidade ideológica e organização criminosa.

As investigações começaram em 2017, com a prisão de várias pessoas, incluindo uma família de Campo Maior, apontada como responsável pela criação de dezenas de empresas de fachada. A dupla presa venderia mercadorias para as empresas fantasmas no Piauí. Ao todo, 19 pessoas foram indiciadas.

Fonte: CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais