23.5 C
Piauí
18 de abril de 2021
Cidades em Foco
Geral Polícia

Polícia investiga se morte de professor está ligada a abusos sexuais a adolescentes

A Polícia Civil investiga se a morte do professor em Barras está ligada a abusos sexuais a adolescentes.  O professor Marcílio Augusto Borges Nascimento foi encontrado morto a facadas às margens do rio Marataoan no dia 31 de março. O assassinato pode estar ligado ao crime em que ele foi alvo em 2019

O professor foi indiciado pela Polícia por crime de abuso sexual e por ofertar bebida alcóolica a adolescentes.

O delegado Dênis Sampaio, que presidiu o inquérito contra o professor, informou ao portal Cidadeverde.com que a denúncia foi feita por uma mãe de aluno. Na época, Marcílio Nascimento era diretora da escola.

“Fizemos a intercepção telefônica que levou além dos abusos a outro crime de peculato. Ouvimos mais de dez estudantes, alguns negaram outros confirmaram que ele oferecia dinheiro, benefícios e até prometia passar de ano caso”, disse o delegado.

No inquérito há relatos também de que o professor promovia festas e ofertava bebida alcoólica aos estudantes.

O gerente de Polícia do Interior, delegado Marcelo Leal, informou que o celular da vítima foi apreendido no local do crime. A polícia está analisando as conversas e imagens encontradas no aparelho.

“Foi apreendido o celular da vítima que ajudará na investigação. O local que foi encontrado é afastado, não há testemunhas ou imagem. Mas, a vida pregressa da pessoa é fundamental e pode ter relação com o assassinato. A polícia já tem pessoa suspeita do crime”, afirmou Marcelo Leal.

Circula um áudio de um adolescente em que ele convidando uma pessoa para um churrasco em Barras.

O Cidadeverde.com teve acesso ao áudio e o delegado Marcelo Leal confirmou que os áudios serão analisados no inquérito.

Fonte: CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais