25.2 C
Piauí
4 de outubro de 2022
Cidades em Foco
GeralPiauí

Post de suspeita de matar filha de jornalista gera revolta e pai faz desabafo

Tainah foi esfaqueada na casa da ex-namorada no bairro Mocambinho, zona Norte de Teresina - Foto: arquivo pessoal

O post de uma das suspeitas de assassinar a facadas a analista de sistemas, Tainah Luz Brasil Rocha, 27 anos, causou revolta. No story,  a investigada Fernanda Ayres posa sendo beijada no rosto pela atual namorada, Geovana Thais, que também teria participação no caso. Na foto, a seguinte legenda seguida de um emoji de coração: sempre contigo. Prestes a completar três meses, as duas estão em liberdade e a família cobra celeridade na investigação do crime que teria motivação passional.

“Enquanto Tainah está morta, Fernanda e Geovana, suspeitas de terem assassinado minha filha, estão felizes fazendo poses no Instagram. E vamos beber e ameaçar as pessoas, moças”, postou o pai de Tainah, o jornalista Marcelo Rocha, em tom de revolta.

A  analista de sistemas foi assassinada com sete perfurações de faca. Ela morava em Curitiba-PR e passava férias em Teresina. O crime ocorreu na casa de Fernanda Ayres, ex-namorada de Tainah. Na residência também estaria Geovana, a atual companheira de Fernanda. As duas chegaram a ser presas, mas ganharam liberdade.

“A gente entende o trabalho da perícia, sabe que há muitas diligências a fazer, mas se você passasse por essa experiência [espero que isso nunca aconteça] consegue imaginar como fica a família. Eu, como pai, fico lamentando, meus filhos também estão esperando muito esse resultado. A gente considera que mesmo com  o esforço da polícia já dava pra ter uma apuração completa, um trabalho finalizado”, disse o pai da vítima.

No próximo dia 16, o crime completa três meses  e segue sendo investigado pelo Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que solicitou prorrogação do prazo do inquérito e aguarda manifestação da Justiça. Novas testemunhas devem ser ouvidas. A Polícia Civil- que já está com laudos periciais- fez a acareação entre as duas suspeitas e ainda tem questionamentos a serem esclarecidos.

A defesa da investigada Geovana Thais apresentou, à epoca do crime, a tese de legítima defesa, versão que é contestada por familiares da vítima que cobram por Justiça.

“Eram três pessoas em uma casa. Tainah foi morta, ficaram duas! no meu entendimento, uma foi responsável pelo esfaqueamento; a outra foi coparticipante; ou as duas foram responsáveis pelo esfaqueamento da minha filha. Com certeza, Tainah não cometeu suicídio”, cogita o pai de Tainah.

Graciane Araújo
Com informações Tiago Melo (TV Cidade Verde)
redacao@cidadeverde.com                                   

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais