Preso, capitão que matou namorada continua recebendo salário da PM

Mesmo preso desde o final de outubro do ano passado, o capitão da Polícia Militar do Piauí, Allisson Wattson da Silva, não foi expulso da PM e continua recebendo salário do governo do Estado. Allisson Wattson é acusado de matar a estudante Camila Abreu em outubro de 2017 e será julgado em júri popular.

No Portal da Transparência do Governo do Estado, nesta quinta-feira (5), é possível ver que ele recebeu em fevereiro um salário bruto de R$ 9.077, que com os descontos chegaram a um valor líquido de R$ 3.538. Já no mês de fevereiro, é possível ver que o bruto foi R$ 9.275 e com os descontos restou R$ 3.661.

Conselho de Justificação da PM decidiu no dia 2 de fevereiro de 2018 pela expulsão do capitão. Contudo, enquanto o processo não é julgado em definitivo pela Procuradoria Geral do Piauí e assinado pelo governador Wellington Dias (PT), o capitão continua fazendo parte da PM, o que mantém o direito de que receba os vencimentos.

O governo do Estado informou, através da assessoria de imprensa, que a caso está quase concluso na PGE. Informou também que depois que passa pela PGE, volta para o Palácio de Karnak.

Ainda de acordo com a assessoria, depois que sai da PGE, o passo é enviar para o governador assinar a exoneração e publicar no Diário Oficial.

Veja os repasses feitos a Allisson Wattson:

Vencimento de janeiro de 2018


Vencimento de fevereiro de 2018:

 

 

Fonte: Lyza Freitas / CidadeVerde

Compartilhar:

Por: Júnior Oliveira

Diretor Geral