24.2 C
Piauí
25 de junho de 2022
Cidades em Foco
Sem categoria

Preso é morto com “furos incontáveis” no corpo; 3ª morte em apenas um dia

Um dos presos do pavilhão “H” da Casa de Custódia Ribamar Leite, na BR-316, foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (23). De acordo com o diretor administrativo do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), Cleiton Holanda, o preso morto, identificado comoDjavan Fernandes Cabral, foi jogado no pátio por volta das 9h.

Seis detentos foram autuados em flagrante, por homicídio qualificado, pela morte do companheiro cela. São eles: Guilherme Pereira de Sousa, Francisco da Costa Ferreira de Sousa, Josivaldo Ferreira da Silva Rios, Manoel Belisario dos Santos Neto, Matheus Silva Moraes e Moisés Pereira Santos.

De acordo com a Delegacia de Homicídios, foram encontrados cinco objetos pretensamente usados no crime e dois dos autuados apresentavam arranhões, denotando luta corporal com a vítima, que teria sido morta no banheiro da cela.

“Encontramos vestígios de sangue na cela e no corpo dele, o que indica à polícia o local onde ele foi executado”, declarou o delegado da Homicídios, Samuel Silveira. Segundo ele, o preso foi morto na cela e depois teve o corpo atirado ao pátio no momento da abertura dos portões para o banho de sol.

O pavilhão era usado como triagem, porém por causa da superlotação está sendo utilizado para colocar presos e atualmente, possui 60 presos.

A perícia foi acionada pela Secretaria de Jusiça e uma equipe da Delegcia de Homicídios estão no local para iniciar as apurações. O Instituto Médico Legal (IML) também está na Custódia. A diretoria do presídio acredita que a morte foi motivada pela transferência de 20 presos trazidos da penitenciária de Esperantina.

Esta é a terceira morte em menos de 24 horas no sistema prisional do Estado. Ontem(22), emuma rebelião no presídio de Esperantina, dois detentos foram assassinados.

Atualizada às 11h12

O preso morto hoje na Custódia identificado como Djavan Fernandes Cabral, era detento em Esperantina e foi transferido ontem.

Ele foi morto com várias perfurações no corpo e de forma bárbara. “Há perfurações incontáveis, vários furos, um por cima da outro em todo o corpo do detento”, informou Cleiton Holanda.

O Sindicato acredita que as mortes têm relação com as transferências de presos.

“Há um erro administrativo da Secretaria de Justiça de transferência de presos, colocando desafetos próximo um dos outro e isso está gerando um problema dentro dos presídios e colocando em risco a vida dos agentes e dos presos”.

 

 

 

Fonte: Caroline Oliveira e Yala Sena / Cidade Verde

 

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais