21.9 C
Piauí
24 de outubro de 2019
Cidades em Foco
Destaque Geral

Procon instaura procedimento contra Equatorial por conta de quedas de energia

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) instaurou processo administrativo contra a concessionária Equatorial por conta da falta de energia elétrica ocorrida em Teresina na sexta-feira (4), influenciada por forte chuva, com rajadas de vento de 100 km/h. A portaria foi assinada pelo promotor de Justiça e coordenador-geral do Procon, Nivaldo Ribeiro, nesta segunda-feira (7). A empresa não foi encontrada para comentar sobre o caso.

Após o temporal, vários bairros da cidade ficaram sem energia até mesmo no fim de semana. Segundo o coordenador do Procon, a ausência do fornecimento de energia elétrica atingiu milhares de consumidores, inclusive serviços de relevância social como hospitais e maternidades.

Médicos fazem cirurgia com auxílio de celulares durante apagão em maternidade de Teresina — Foto: Reprodução/Redes sociais

Médicos fazem cirurgia com auxílio de celulares durante apagão em maternidade de Teresina — Foto: Reprodução/Redes sociais.

Na Maternidade Dona Evangelina Rosa, os médicos tiveram que atender os pacientes e até mesmo realizar procedimento cirúrgico com o auxílio da luz de aparelhos celulares durante apagão. O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) ficou de 18h30 de sexta-feira até 5h de sábado sem energia, sendo alguns setores alimentos por geradores.

Por meio da portaria, o Procon determinou que empresa apresente defesa escrita, no prazo de 15 dias, através de relatório que contenha o número de chamados recebidos na sexta-feira (4), no sábado (5) e no domingo (6) relacionados à falta de energia decorrente da forte chuva e em qual prazo foram atendidos, assim como as ações adotadas.

O Procon também solicitou que seja disponibilizada a quantidade de atendentes que estavam disponíveis no call center da empresa, informações sobre as equipes disponíveis para o reparo dos serviços de distribuição de energia elétrica e se houve medidas emergenciais no sentido de aumentar o número de funcionários diante da elevação dos chamados.

“As medidas de cunho preventivo que estejam sendo adotadas pela Equatorial também devem ser informadas. A empresa deve ainda se pronunciar sobre a possibilidade de firmar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) a respeito dos problemas ocorridos”, destacou.

Uma audiência de conciliação foi marcada para o dia 25 de outubro, às 9h, com o objetivo de tratar da falta de energia e de preservar os direitos dos consumidores.

Fonte: G1-PI

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais