27.3 C
Piauí
14 de julho de 2020
Cidades em Foco
Educação Geral

Psicóloga faz ‘vaquinha’ e empresta computador para irmãos não pararem de estudar na pandemia

A alegria de uma criança vai além do sorriso no rosto. Para os irmãos Márcio Sousa e Maycon Sousa, 10 e 11 anos, felicidade é ter um par de chinelos novos ou um dia comer um hambúrguer. O sonho deles: ter um computador para os estudos. Esse sonho, os garotos ainda não conseguiram realizar, mas a vida  deles começou a mudar graças a maquiadora e psicóloga Jocelane Fontenelle que, todos os dias, empresta o computador do filho para os meninos estudarem.

Ela conta que se sensibilizou com a história dos irmãos que são seus vizinhos. Ela relembra que viu uma  publicação sobre o aumento da desigualdade entre os estudantes mais pobres,durante a pandemia da Covid-19, por não terem acesso às aulas virtuais disponibilizadas pela maioria das escolas.

“Vi uma publicação sobre a desigualdade de aprendizado e me veio aquele clique, aquela angústia. Percebi que eles queriam estudar, mas não tinham como. Os meninos moram na frente da minha casa e percebi que podia ajudar. Na mesma hora, desci do carro e fui falar diretamente com eles e já começaram no dia seguinte. Não falei nem com ninguém lá de casa, só comuniquei depois”, conta a psicóloga.

Há dois meses, todas as manhãs, os irmãos vão para a casa da psicóloga onde têm acesso ao computador e à internet. Eles fazem os trabalhos escolares que são devidamente impressos. Primeiramente, eles começaram a estudar pelo celular da psicóloga e depois o próprio filho dela se sensibilizou e passou a emprestar seu computador.

Fotos (arquivo pessoal)

“Eles são assíduos e pontuais. Sempre chamou atenção o fato dos dois serem muito educados e isso surpreende todo mundo aqui perto. Cada dia, vou me apegando mais a eles,que vêm aqui, todos os dias, de 9h30 às 12h. Eles pesquisam, fazem anotações, assistem aulas pelo Youtube e são meio autosuficientes, se viraram sozinhos antes da escola enviar o material”, disse Fontenelle.

A atitude da psicóloga tem despertado outras crianças a se interessarem pelos estudos. Ela pretende também inspirar outras pessoas a fazerem o bem.

“O principal objetivo é conseguir o computador para eles e que minha ação sirva como exemplo para outras pessoas também ajudarem.

Os dois vivem sob os cuidados dos avós e do pai e sobrevivem no programa social Bolsa Família.

“Noto que a família tem muito amor, são bem cuidados, na medida do possivel, mas nunca tiveram luxo. Um dia vi um deles descalço na rua e estranhei, perguntei o que tinha acontecido e ele me disse que o chinelo tinha quebrado. Consegui umas doações para lanchse e aproveitamos para comprar o chinelo. Ele ficou muito feliz”, conta a psicóloga.

Para ajudar as crianças, Jocelane Fontenelle criou uma vaquinha virtual para conseguir recursos para comprar o computador para que possam estudar em casa, além de material escolar, um ventilador e cadeiras para dar o mínimo de conforto para os garotos. Ela também disponibilizou sua conta bancária para receber doações.

Márcio cursa o 5º ano e Maycon o 6º ano do Ensino Fundamental em escolas públicas de Teresina. Apesar de serem crianças, os irmãos demonstram gratidão pela psicóloga, a qual chamam carinhosamente de “tia”.

“Está sendo bom por que a gente não tinha contato com a internet. Agora estamos aprendendo coisas que a gente não aprendeu e  a professora da escola ainda vai passar ainda mais na frente.  Se  a gente continuar assim estudando, quando as aulas voltarem, vamos precisar estudar só o básicos. Se a gente fosse de briancadeira, quando a professora colocasse a prova na mesa  não íamos saber nada. Quando eu crescer, vou lembrar que estudei na casa da minha tia”, conta o garoto Maycon que sonha em ser “doutor em cirurgia”. Ele conta que tinha o sonho de ter um celular, mas “agora acha melhor um computador para estudar”.

Diferente do irmão que gosta mais de matemática, Márcio prefere português, mas também que ser médico, mas “doutor veterinária”.

“A tia Jocelane significa muito pra nós.  A gente vai mostrar tudo isso pra ela quando a gente for grande. Quero muita boa sorte e felicidade para ela”, disse o garotinho Márcio.

Jocelane se diz “abençoada” com o carinho dos irmãos e diz que a maior recompensa é fazer parte da vida deles.

“A recompensa é imaginar estar fazendo parte de algo muito importante, imaginar que posso estar fazendo parte da vida deles que vão crescer, seguir o caminho deles e multiplicar por outros o que estou fazendo por eles. Me sinto abençoada. Mesmo com pouco, a gente pode fazer algo”, concluiu a psicóloga.

VAQUINHA ONLINE

A atitude de Jocelane já inspira uma corrente do bem. Ela conta que recebeu a doação de um computador, que ainda não recebeu, e está com uma ‘vaquinha online’ (acesse o link) para conseguir computador para o outro irmão e também materiais escolares, cadeiras e um ventilador para que as crianças estudem com mais conforto. As doações podem ser feitas também pode depósito bancário através da conta poupança da Caixa Econômica Federal (AGÊNCIA 0029/ OP 013/ CONTA BANCÁRIA 00025003-1/ JOCELANE FONTINELE SANTOS).

Fonte: CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais