23.3 C
Piauí
6 de dezembro de 2022
Cidades em Foco
GeralPolícia

Quadrilha trazia droga da Bolívia; três empresários e “laranjas” são presos

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

Atualizada às 13h25

As investigações da Operação Mandarim apontam que o líder da organização criminosa negociava com traficantes da Bolívia a droga que era comercializada no Piauí. Durante a operação, três empresários foram presos suspeitos de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Seis pessoas consideradas “laranjas” na organização também foram presas. A operação de hoje cumpriu 22 mandados de busca e prisão.

Segundo o delegado Tiago Silva, da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE), a droga que era trazida da Bolívia era primordialmente a pasta base de cocaína.
“O Paulinho Chinês tinha a cultura de investir todos os seus ganhos com a construção de imóveis. O próprio Paulino Chinês negociava a droga”, ressaltou o delegado.

O dinheiro oriundo do tráfico de drogas era utilizado na construção de imóveis, aplicação em contas de investimentos e em veículos de luxo.

“Os empresários entravam nessa parte de lavagem e ocultação de patrimônio. Principalmente na construção de imóveis. A partir dessas informações, foi feito o sequestro e bloqueio das contas, aplicações financeiras, justamente para apurar de maneira profunda e ver a participação de outros investigados”, acrescentou o delegado Tiago Silva.

O delegado- geral da Polícia Civil do Piauí, Lucy Keiko, afirmou que Paulo Chinês é bastante conhecido no meio policial por ser um traficante que adquiriu um alto patrimônio.

“Durante a investigação buscamos atacar o patrimônio dele e essas pessoas ligadas a ele. Tivemos cumprimento de nove mandados”, destacou o delegado Lucy Keiko.

Dentre as medidas aplicadas na operação estão o sequestro de dois imóveis, um em um condomínio de luxo em Teresina e outro em um sítio no Maranhão. Além disso, 13 veículos de luxo foram sequestrados.

“Somente os veículos ligados ao suspeito de liderar o grupo estão avaliados em mais de 1 milhão de reais”, acrescentou Lucy Keiko.

Entre os laranjas a Polícia prendeu duas mulheres. Uma delas seria gerente de uma das lojas de um dos empresários envolvidos no esquema. Segundo o delegado Tiago Silva, ela teria movimentado a quantia de R$ 10 milhões entre os anos de 2019 e 2021.

Atualizada às 10h40

Policiais da Depre (Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes) prenderam nove pessoas, entre eles empresários, suspeitos de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. A operação cumpre desde a manhã de hoje 22 mandados de busca e prisão em Teresina e Timon (MA).

Entre os empresários presos está Paulo Henrique de Costa Ramos Lustosa, conhecido como Paulinho Chinês, apontado como o líder da organização criminosa. A informação foi confirmada pelo delegado Everton Férrer, coordenador da Depre.

Paulinho Chinês é proprietário da IPK Empreendimentos Imobiliários, localizada no bairro Jóquei, em Teresina.

Matéria original

A Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE) deflagrou na manhã desta quarta-feira (23) uma operação contra o tráfico de drogas. Ao todo, a Polícia Civil cumpre 22 mandados sendo 13 de busca e apreensão e 9 mandados de prisão preventiva nas cidades de Teresina (PI) e Timon (MA).

Segundo a Polícia Civil, a investigação da Operação Mandarim foi iniciada no ano de 2018, com intuito de desarticular um grupo criminoso voltado para o tráfico de drogas liderado por um homem identificado como Paulinho Chinês.

De acordo com a DEPRE, diversas diligências foram realizadas e em 2020 foi apreendido drogas, armas na casa de C.D.C.S, cunhado de Paulinho Chinês.  C.D.C.S se encontra com mandado de prisão em aberto.

Já em março de 2022, também houve a apreensão de 145 kg de drogas, avaliada em cerca de R$ 10 milhões, em um ônibus que vinha do estado do Mato Grosso e o motorista do veículo foi preso. A Polícia Civil acrescentou que as investigações apontaram ligação do caso com a organização criminosa liderada por Paulinho Chinês.

Ainda neste ano, no dia 9 de novembro, Paulinho Chinês e outro suspeito foram presos em flagrante com cerca de 30kg de drogas na zona Sudeste de Teresina. Quatro veículos também foram apreendidos e a droga foi avaliada em R$ 2,5 milhões.

Além das apreensões, a investigação também apurou crime de lavagem de dinheiro, razão pela qual dez veículos estão sendo sequestrados, dois imóveis e R$ 30 milhões já foram bloqueados das contas bancárias de todos os investigados e laranjas.

Três empresas também são alvo de buscas nesta ação, investigadas por fazerem parte do esquema de lavagem de dinheiro do grupo criminoso.

A DEPRE acrescentou ainda que a operação de hoje impacta e causa uma “asfixia financeira” no tráfico de drogas, impedindo o crescimento patrimonial dos criminosos e a expansão e fortalecimento de outras atividades ilícitas.

A ação conta com a participação de cerca de 70 policiais, entre policiais civis das mais diversas unidades policiais do estado, tais como GRECO, POLINTER, GPE, GPI, DRCI, DECAP E Perícia Contábil da PCPI, além da Polícia Federal, COE/Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Civil De Timon, dos Núcleos de Operações com cães da PCPI, PCMA e da Guarda Municipal de Teresina.

Fonte: Rebeca Lima, Nataniel Sousa e Yala Sena / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais