“Queremos salário digno e reajustável anualmente, diz juiz federal

O juiz federal Nazareno Reis afirmou nesta quarta-feira (14), em entrevista ao Jornal do Piauí, que os magistrados se sentem injustiçados por possuírem salários menores do que outras categorias no serviço público. Segundo ele, os juízes não recebem reajustes anuais como outros profissionais. Essa insatisfação vai virar um protesto que ganhará às ruas nesta quinta-feira em todo o Brasil.

De acordo com Nazareno Reis, a categoria está lutando por um salário “digno” em comparação a outras carreiras semelhantes da magistratura, e que a questão do direito ao auxílio-moradia deve ser discutida amplamente em toda a sociedade, e não de forma isolada como tem acontecido.  “A categoria se sente injustiçada porque estar sendo colocada sempre como ‘bode expiatório’ quanto à luta pelos seus direitos, como se fossem os grandes vilãos da sociedade”.

Ele acrescenta: “A questão não é só o auxílio moradia. Vamos discutir também as outras partes da Constituição e sobretudo essa que prevê que o subsídio deve ser reajustado. O que magistratura quer e isso a gente tem que dizer para sociedade com muita clareza, é um salário que seja digno, reajustável conforme a inflação anualmente e que não precise ficar com pires na mão pedindo reajuste. Isso é uma situação terrível, porque precisamos de independência e de tranquilidade para trabalhar”, defendeu.

A classe em todo o Brasil tem realizado um movimento que pede, dentre outras reivindicações, o retorno do auxílio moradia para os juízes federais. Em Teresina, a mobilização “em defesa do Judiciário” acontece amanhã (15) e está marcada para as 11h.

“Temos que comparar nossas rendas assemelhadas, temos carreiras que têm trabalho infinitas vezes mais simples e mais leves, sem nenhum tipo de ameaça e constrangimento e que ganham igual ou mais que o juiz e esse critério comparativo é relevante dentro do serviço público, porque tem uma norma constitucional que prevê que a remuneração do serviço público deve levar em conta a complexidade e as limitações do cargo. Então temos de fazer essa comparação dentro desse contexto. É isso que queremos que imprensa atente e não só sobre os juízes como se fossemos grandes vilões que estivessem apenas em busca de salários e não é isso que acontece”, declarou.

Foto: Wilson Filho

Além disso, o juiz sugeriu que pode estar havendo uma perseguição de órgãos superiores para com a magistratura em nível federal.  “É difícil dizer isso de uma forma categórica, porém alguns indícios são bastantes estranhos, por exemplo, só nós não recebemos reajuste nos últimos anos”.

Nazareno Reis observou ainda que a classe lida com questões sérias, relacionadas muitas vezes ao crime, ao direito de família, direitos trabalhistas e que merece reconhecimento pela importante função que desempenha junto a sociedade.

Fonte: Lyza Freitas / CidadeVerde

Compartilhar:

Por: Júnior Oliveira

Diretor Geral