35.4 C
Piauí
3 de dezembro de 2021
Cidades em Foco
Geral Sertão do Inhamuns em Foco

Raios ultravioletas: saiba como escolher as lentes mais seguras para sua saúde ocular

Óculos - Foto: Pixabay

A OMS (Organização Mundial da Saúde) preconiza o uso de óculos com lentes que filtrem 100% da radiação UV (ultravioleta) emitida pelo sol sempre que ultrapassar 6. A previsão do INPE (Instituto de Pesquisas Espaciais) é de que até sábado (27) a radiação em todo o País fica acima de 11, atingindo índices extremos de 12 a 14.

O oftalmologista Leôncio Queiroz Neto chama a atenção para a previsão de dias nublados e até pancadas de chuva nesta semana. Isso porque muitos deixam a proteção de lado nestes dias, mas há evidências de que 70% da radiação atinge os olhos mesmo quando o sol está sob nuvens.  “Em dias de radiação extrema o índice de UV continua sendo bem mais que o considerado seguro para nossos olhos”, comenta.

O problema é que um levantamento feito pelo médico com 814 participantes mostra que só 45% costumam se proteger o ano todo. Para o médico a parcela dos desprotegidos pode ser ainda menor. Isso porque, um estudo de engenharia médica mostra que o alto índice de radiação solar no Brasil faz com que a durabilidade do filtro das lentes seja em média de dois anos e muitas pessoas não trocam os óculos de sol com esta frequência.

Efeitos imediatos

Queiroz Neto afirma que duas alterações decorrentes da radiação ultravioleta podem ser notadas imediatamente. Uma é o escurecimento e degeneração da pele das pálpebras que eleva o risco de contrair câncer de pele na região. A outra, ressalta, é a fotoceratite, uma inflamação da córnea por queimadura de primeiro grau que geralmente ocorre após 6 horas ininterruptas de exposição ao sol sem proteção.

Os sintomas são olhos vermelhos e ressecados. O problema, afirma, é que a fotoceratite não é levada a sério por muitas pessoas porque depois de 48 horas de afastamento do sol os sintomas desaparecem. Isso não significa ausência de risco. A inflamação provoca o desprendimento de células do epitélio (camada externa da córnea) e a córnea fica mais vulnerável à inflamações, explica.

Efeitos cumulativos

O oftalmologista afirma que as doenças mais graves resultam do efeito cumulativo do sol. A radiação UV aumenta em 60% a chance de desenvolver catarata, opacificação do cristalino, que responde por 49% dos casos de perda da visão no país, e cresce 20% ao ano. O único tratamento é a cirurgia que substitui o cristalino opaco pelo implante de uma lente intraocular.

Outra doença grave que pode ser causada pelo sol, comenta, é a degeneração macular. Provoca a morte das células da mácula, parte central da retina responsável pela visão de detalhes. Quando é descoberta em estágio inicial pode ser tratada com injeções antiangiogênicas, mas muitos casos levam à perda irreparável da visão.

Uma terceira doença decorrente da radiação UV é o pterígio caracterizado pelo espessamento da conjuntiva, membrana que cobre a parte branca do globo ocular e a superfície interna das pálpebras. Quando pequeno é tratado com pomadas anti-inflamatórias, mas se cresce e atrapalha a visão pode ser extraído por cirurgia.

Como escolher os óculos

A forma mais segura de garantir a qualidade das lentes é verificar se têm a certificação ABNT NBR ISO 15111. Lentes sem proteção são piores do que a falta de óculos de sol porque escurecem a região dos olhos e por isso dilatam a pupila, permitindo que mais radiação penetre nos olhos.

As lentes cinza, âmbar e marrom são as mais adequadas para o dia-dia e para motoristas porque eliminam reflexos, permitem boa visão de contraste e de profundidade. Para esportes aquáticos as lentes rosa e púrpura melhoram a visão de contraste em fundos verdes ou azuis. No lusco-fusco do entardecer, são mais indicadas as  lentes amarelas que reduzem o ofuscamento de motoristas provocados pela luz dos faróis, conclui.

Da Redação / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais