23.3 C
Piauí
6 de dezembro de 2022
Cidades em Foco
GeralInternacional

Rapaz preso que incendiou ônibus teve surto psicótico, diz atestado médico

Foto: Renato Andrade

Equipe médica que atendeu o rapaz que incendiou o ônibus da empresa Timon City atestou que ele sofreu um surto psicótico. Ontem (27), por volta de 16h30, o rapaz  ateou fogo no transporte coletivo na praça Saraiva, Centro de Teresina.

O portal Cidadeverde.com teve acesso ao boletim médico do rapaz. Após a prisão, ele foi levado para a Central de Flagrantes e depois para o Hospital do Monte Castelo, zona Sul de Teresina. Lá, um médico atestou: “Paciente, 24 anos, apresenta-se neste serviço com relato de surto psicótico… faz uso de medicação controlada e acompanhamento com psiquiatra”, diz o atestado. O portal conseguiu o nome do rapaz, mas por ele ter problemas de saúde não vamos divulgar.

O médico que atendeu o rapaz solicitou uma avaliação de psiquiatra e passou três medicações.  O Cidadeverde.com obteve informação que o rapaz é diagnosticado com transtorno do espectro autista. Ele tem uma carteira expedida pela Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência.

Hoje pela manhã, ele estava acompanhado do pai na audiência de custódia no prédio do Fórum Criminal. O pai apresentou toda a documentação mostrando que ele faz uso de medicação e tem acompanhamento psiquiátrico. Na audiência de custódia, o juiz transformou a prisão em flagrante em prisão preventiva.

Ontem durante a prisão feita pela Guarda Municipal foi apreendido um caderno em que ele anotava a  rota do ônibus da Timon City.

O Cidadeverde.com apurou que ele não tem parentesco com a estudante Amanda Carvalho, de 22 anos, que foi atropelada por um ônibus da empresa Timon-City em 12 de agosto, quando atravessa uma rua na praça Saraiva. No acidente, ela foi arrastada por cerca de 50 metros.

A informação que o portal obteve é que o rapaz se revoltou com a morte da estudante e planejou o incêndio. Ao atear fogo no coletivo, o rapaz escreveu um bilhete que dizia: “Hoje a justiça está sendo feita em nome dela e de sua família. Ass. é o crime”.

Durante a prisão foi apreendido um canivete, isqueiro e outros materiais que passarão por perícia.

Fonte: CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais