27.2 C
Piauí
22 de setembro de 2019
Cidades em Foco
Destaque Economia Geral

Renda do trabalhador piauiense cresce; emprego formal garante salário melhor

A renda média do trabalhador piauiense subiu de R$ 1.919 para R$ 1.940, do primeiro para o segundo trimestre deste ano. A alta foi de R$ 21 na média, e não foi o suficiente para repor as perdas do ano passado até agora.

No mesmo período do ano passado, a renda média do piauiense era de R$ 1.970. As informações são da PNAD Contínua Trimestral, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão separa os trabalhadores em três tipos: empregadores, empregados e por conta própria.

Entre os empregados, a média salarial é de R$ 1.919 e houve o mesmo crescimento nominal (R$ 21) em relação ao trimestre passado. Agora, o valor se iguala ao mesmo período de 2018.

Maiores salários

Os empregadores, que somam 30 mil piauienses, compõem a categoria que recebe mais. A média é de R$ 4.259, mas caiu R$ 683 do primeiro para o segundo trimestre, revelando as dificuldades que os empresários ainda estão tendo neste momento de lenta recuperação econômica.

Entre os empresários formais, que têm CNPJ, os salários são maiores. A diferença é de R$ 1.440.

Empregadores com CNPJ: R$ 4.820
Empregadores sem CNPJ: R$ 3.380
Média geral dos empregadores: R$ 4.259

Funcionários públicos

A média salarial dos 119 mil funcionários públicos é de R$ 3.287. É a segunda maior entre todas as categorias. O salário caiu R$ 142 entre o primeiro e o segundo trimestre, mas está R$ 25 mais alto que o mesmo período do ano passado.

Nessa categoria, os servidores públicos (estatutários) e militares são os que têm a média salarial mais alta, R$ 3.441. Mas o valor caiu R$ 223 de um trimestre para o outro.

Setor público com carteira: R$ 3.200
Setor público sem carteira: R$ 2.128
Militares e funcionários estatutários: R$ 3.441
Média geral do setor público: R$ 3.287

Setor privado

Os trabalhadores formais, ou seja, com carteira assinada, são os que recebem melhor dentro dessa categoria. No setor privado, que emprega 300 mil piauienses, a diferença entre o formal e o informal é de R$ 533.

Setor privado com carteira: R$ 1.711
Setor privado sem carteira: R$ 1.178
Média geral do setor privado: R$ 1.541

Os trabalhadores com carteira assinada no setor privado registraram alta de R$ 82 em relação ao primeiro trimestre do ano. E também é R$ 4 maior que o mesmo período do ano passado.

Trabalhador doméstico

Segundo o IBGE, atualmente há 40 mil trabalhadores domésticos no Estado. O salário médio da categoria é o mais baixo do Estado: R$ 693. Esse valor é menor que as duas comparações feitas (em relação ao mesmo período do ano passado são R$ 28 a menos e em relação ao primeiro trimestre desse ano são R$ 44 a menos). A informalidade também gera os piores salários.

Trabalhador doméstico com carteira: R$ 1.027
Trabalhador doméstico sem carteira: R$ 608
Média geral do trabalhador doméstico: R$ 693

Conta própria

Os trabalhadores por conta própria somam 259 piauienses. A média de renda é R$ 1.552, o que significa R$ 41 a mais que no primeiro trimestre e R$ 27 a mais que no mesmo período do ano passado.

Conta própria com CNPJ: R$ 2.109
Conta própria sem CNPJ: R$ 1.446
Média geral do trabalhador por conta própria: R$ 1.552

Fonte: CidadeVerde

Notícias relacionadas

Filhos de Bolsonaro devem vir ao Piauí na campanha do 2º turno

Junior Oliveira

Abertura da 12ª Jornada LGBT reúne grande público em Picos. Veja fotos!

Junior Oliveira

Ex-soldado sofre assalto e é morto ao levar comida para mãe no HUT em Teresina

Junior Oliveira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais