22.9 C
Piauí
29 de maio de 2020
Cidades em Foco
Geral Política

Rodrigo Maia diz que ajuda do governo para empresas “não vai resolver nada”

Imagem reprodução

Nesta sexta-feira, 27 de março, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou a linha de crédito emergencial anunciada pelo governo, para pequenas e médias empresas pagarem os salários dos seus funcionários por dois meses. Para ele, a proposta é “tímida” e “não vai resolver nada”, além de faltarem medidas voltadas para outros setores da sociedade.

O programa de crédito foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e vai disponibilizar um valor de, no máximo, R$ 20 bilhões por mês, em um período de dois meses. O objetivo do programa é aliviar a pressão financeira sobre as empresas durante a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus.

“Acho que essa [decisão] do financiamento, que eu não acho ruim, porque, pela informação que eu tenho, a taxa de captação é a mesma do empréstimo. [Tem] uma carência, um prazo para pagar, [e] a garantia majoritária do governo, ainda é tímida – 20 bilhões por mês – não vai resolver nada”, declarou Maia a um grupo de empresários em evento realizado por vídeoconferência.

A linha de crédito anunciada é voltada para empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões. Para Maia, o governo precisa pensar logo em medidas destinadas também a empresas que estão fora dessa faixa. “Como é que faz com o resto? Porque tem empresas maiores, que também vão ter dificuldade. Tem microempresas que ficaram de fora”, questionou o parlamentar.

Com informações do G1.

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais