20 C
Piauí
13 de agosto de 2020
Cidades em Foco
Geral Polícia

Sargento da PM é preso por tentativa de feminicídio contra companheira no Piauí

Sargento é preso suspeito de tentativa de feminicídio contra a companheira em Teresina — Foto: Reprodução/Redes sociais

Um sargento da Polícia Militar do Piauí foi preso nesta sexta-feira (10) suspeito de tentativa de feminicídio contra a companheira em Teresina. O crime ocorreu na noite o dia 2 de julho, quando o policial teria agredido e ameaçado de morte a vítima.

De acordo com a delegada Luana Alves, coordenadora do Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), o sargento foi encontrado em casa e não reagiu a prisão. A Delegacia de Femicídio cumpriu a prisão junto com a Corregedoria da Polícia Militar.

“O procedimento chegou na Delegacia de Feminicídio na sexta-feira passada. Fizemos as diligências e com os elementos que temos a conduta criminosa leva a tentativa de feminicídio”, informou.

Delegada Luana Alves, coordenadora do Núcleo de Feminicídio do DHPP — Foto: Reprodução/Redes sociais

Delegada Luana Alves, coordenadora do Núcleo de Feminicídio do DHPP — Foto: Reprodução/Redes sociais

Segundo a delegada, o sargento já tinha sido ouvido na delegacia, mas em razão da conduta, modus operandi e vida pregressa dele, que responde a outra denúncia de violência contra a mulher, foi solicitada a sua prisão.

“Nós fizemos o requerimento para a prisão preventiva e foi deferida pelo juiz da Vara de Inquéritos. Cumprimos agora, apesar de ser considerado um crime comum, mas por se tratar de um policial militar ele ser encaminhado ao Quartel do Comando Geral da Polícia Militar”, explicou Luana Alves.

Sargento foi encaminhado para o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar — Foto: Reprodução/Redes sociais

Sargento foi encaminhado para o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar — Foto: Reprodução/Redes sociais

A defesa da vítima entrou com o pedido de medida protetiva. Ela e o companheiro viviam juntos há um ano.

Em pesquisa no site do Tribunal de Justiça do Piauí, o sargento responde outro processo criminal de violência contra a mulher. Conforme a delegada, em depoimento ele informou que se tratava da sua ex-mulher.

Entenda o caso

Vítima se trancou no banheiro, mas suspeito arrombou a porta — Foto: Arquivo Pessoal /Júnior Evangelista

Vítima se trancou no banheiro, mas suspeito arrombou a porta — Foto: Arquivo Pessoal /Júnior Evangelista

Um sargento da Polícia Militar do Piauí é suspeito de agredir e ameaçar de morte a própria companheira na noite de quinta-feira (2), em Teresina. A vítima registrou o boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa dos Direitos da Mulher (Deam /Norte).

Em entrevista, o irmão da vítima, o empresário Júnior Evangelista, informou que as agressões aconteceram na residência onde o casal mora, no bairro Jacinta Andrade, Zona Norte da capital. A vítima havia acabado de chegar em casa, quando o PM pediu para conversar com ela.

“Ele tinha bebido e disse que queria conversar com ela, mas já foi a puxando pelo braço, inclusive minha irmã está com o braço inchado. Ela correu para o banheiro, mas ele conseguiu arrombar a porta, jogou ela no chão, começou a dar murros nela. Em seguida, o agressor a pegou pelo pescoço e com a outra começou a asfixiá-la. Ele dizia que ia matá-la e jogar o seu corpo no rio para os peixes comerem”, afirmou.

Depois, segundo Júnior Evangelista, o policial trancou a companheira no seu carro. Mas, quando o PM ia entrando no veículo, a vítima conseguiu sair e fugiu para a casa da vizinha.

“Ela conseguiu entrar na casa da vizinha e ele foi atrás dela. O agressor tentou invadir a residência e jogou a bolsa da minha irmã no meio da rua. Meu irmão chegou e ele apontou a arma para a cabeça dele. Depois, o agressor fugiu”, contou Júnior.

A vítima registrou o boletim de ocorrência na delegacia. O caso foi configurado como injúria, ameaça e lesão corporal. O comando-geral da Polícia Militar do Piauí informou que o PM se encontra afastado de suas atividades por ter passado por um procedimento cirúrgico.

Fonte: G1-PI

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais